Fim da linha na política? Rebecca Garcia diz que não pretende mais disputar eleição - Amazonas1
21 de abril de 2021
Site auditado pelo
Manaus
24oC  29oC
Buscar

Redes Sociais

[email protected]

Fim da linha na política? Rebecca Garcia diz que não pretende mais disputar eleição

Esse é o segundo ano que a ex-parlamentar não se envolve em pleitos municipais ou estaduais no Amazonas

Fim da linha na política? Rebecca Garcia diz que não pretende mais disputar eleição
Foto: Reprodução

A ex-deputada federal Rebecca Garcia (PP) disse ao Portal AM1 que não vai disputar nenhuma vaga nas eleições em 2022. Esse é o segundo ano que a ex-parlamentar não se envolve em pleitos municipais ou estaduais no Amazonas.

O último que ela tentou um cargo foi em 2018, ao lado de Amazonino Mendes (Podemos), que na época era do PDT. Ambos disputavam para governador e vice-governadora do estado.

Questionada se iria se candidatar para algum cargo nas eleições do ano que vem, Rebecca Garcia afirmou que atualmente está focada em seus projetos na iniciativa privada. Atualmente ela atua como Diretora de Desenvolvimento de Negócios na empresa GBR Componentes, em Manaus.

“Não, na verdade, não. Essa semana cogitaram né, uma possível candidatura, mas eu estou super focada aqui com os meus projetos na iniciativa privada. Essa história surgiu por um acaso por conta de uma postagem que eu fiz em função do ato tarifário no setor de bicicletas do país. E aí eu me pronunciei como empresária. Acho que as pessoas estranharam. Mas eu tenho assim estado bem ativa com a política empresarial, não partidária. Sinceramente, estou bem focada nos meus projetos na iniciativa privada”, disse.

Assim como outros políticos e personalidades do Amazonas, Rebecca se manifestou, nas redes sociais, sobre a redução na taxa de imposto sobre as importações no setor de bicicletas do Brasil, que afeta o Polo Industrial de Manaus (PIM).

“O Polo Industrial de Manaus amanhece ameaçado e enfraquecido com a publicação da resolução Cegex n° 159 que reduz o imposto de importação para bicicletas. Medida essa que não gerará um emprego nesse Brasil de desempregados!”, escreveu.

Fim da linha?

Esse não interesse de Rebecca Garcia em disputar outra corrida eleitoral demonstra um possível fim da linha política para ela e para a família Garcia. Em eleições passadas, a ex-deputada era bastante disputada por caciques políticos do Amazonas para compor chapas.

No ano de 2014, em sua primeira disputa para cargos executivos, ela foi candidata a vice-governadora ao lado de Eduardo Braga (MDB). Já nas eleições suplementares de 2017, Rebecca Garcia lançou-se candidata ao governo com o deputado Abdala Fraxe (Podemos) como vice. E por fim, na última disputa em que participou, ela estava na chapa de Amazonino Mendes para o comando do Governo do Amazonas.

Além de deputada federal, de 2011 a 2015, ela foi superintendente da Suframa, de 2015 a 2017, e presidente do antigo PP, que agora é o atual Progressistas.

O comando do PP, inclusive, foi da família Garcia por cerca de 20 anos, desde a sua criação em 2003. O posto era de Francisco Garcia, pai de Rebecca, e que logo foi assumido por ela. Em 2019, porém, após muitas articulações nos bastidores, o comandou do partido foi para o colo da família Lins, sendo o presidente estadual da legenda o deputado federal Átila Lins. O irmão dele, deputado estadual Belarmino Lins (PP), também é um dos maiores nomes do PP no Amazonas. Ambos os parlamentares se filiaram ao PP em 2018.

O médico e empresário Francisco Garcia foi deputado federal de 1999 até o ano de 2007. Mas antes ele chegou a vice-governador do estado do Amazonas, entre 1991 e 1995, no mandato de Gilberto Mestrinho (MDB). Logo em seguida, foi secretário de Saúde do Estado do governo posterior, de Amazonino Mendes (1995-2003).

Além disso, ele foi também proprietário da TV Rio Negro, do Sistema de Comunicação Francisco Garcia, uma afiliada da Rede Bandeirantes de Televisão.

 

COMENTÁRIOS

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do portal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio ou poste spam.

Cadastre-se em nosso newsletter

E fique sempre informado com as últimas notícias

[email-subscribers-form id="1"]