Transexual é brutalmente assassinada no mês de Visibilidade Trans

Jasmyne foi assassinada brutalmente com uma arma branca, no mês em que exaltaria seus direitos; esse é o primeiro caso de assassinato de transexual em Alagoas neste ano
Sabrina Oliveira – Portal AM1
Publicado em 10/01/2022 15:09
Jasmyne teve sua vida interrompida no mês de Vibilidade Trans. (Foto: Reprodução/Instagram)

Uma transsexual de 20 anos, identificada como Jasmyne, foi morta a facadas na madrugada do último domingo (9) em Maceió, Alagoas. A jovem era garota de programa e foi morta a facadas durante um encontro sexual.

Leia mais: Polícia apreende três toneladas de drogas avaliadas em R$ 36 milhões no Amazonas

De acordo com relato de amigos, ela foi vista pela última vez em torno das 10 horas da noite e seu corpo encontrado na manhã de domingo em um terreno baldio próximo à pista onde garotas de programa costumam trabalhar perto da rua Graciliano Ramos, bairro Cidade Universitária. 

Jasmyne foi encontrada com sinais de violência e inúmeras perfurações de facadas pelo corpo, principalmente no rosto, braços, peito e barriga.

Ainda de acordo com amigos de Jasmyne, o suspeito de assassiná-la foi um cliente, em torno da 1 hora da manhã de domingo: “Ela saiu com algum cliente, algum psicopata, algum cara muito louco, matou ela esfaqueada. Então, vocês, meninas trans que trabalham na pista, tomem muito cuidado”, alertou uma amiga.

Pessoas próximas também relatam suposta tentativa de assalto durante o programa, mas não há informações oficiais sobre a motivação.

Até o momento, não se tem notícias sobre o suspeito de assassinar Jasmyne, que encontra-se foragido.

O Portal Amazonas1 tentou contato com a Polícia Civil de Alagoas desde domingo, por diversos contatos, e até o momento não obteve retorno. 

Mês da Visibilidade Trans

Janeiro é o Mês da Visibilidade Trans, um mês de reflexões, atos contra a transfobia e luta por direitos que garantam respeito à população transexual.

Infelizmente, a vida de Jasmyne foi interrompida brutalmente com uma arma branca no mês em que exalta seus direitos como trans e o primeiro caso de assassinato de transexual no estado de Alagoas em 2022. O Brasil continua sendo um dos países que mais mata travestis e transexuais no mundo, onde o direito à vida dessas pessoas é constantemente ameaçado e a violência é uma realidade. Justiça por Jasmyne.

Morte de trans e travestis em Alagoas

Em 2020, morte de transexuais e travestis assassinadas aumentou 300% comparado ao ano anterior, de acordo com dados da Associação Nacional de Travestis e Transexuais do Brasil (Antra).

Acompanhe em tempo real por meio das nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter

Viatura
Compartilhar:
Acompanhe em tempo real por meio das nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter.

+ NOTÍCIAS