US - R$ 4,11

×

Por falta de material em maternidade, grávida ficou 3 dias com feto morto

Em condições precárias, a paciente espera pela cirurgia para expelir o feto, sentada em uma cadeira de corredor

O desespero e indignação da família de Andriele Costa Alves, que está com um feto morto há três dias em seu útero, fez com que sua enteada, Luana Souza, pedisse ajuda e alertasse a todos sobre a precariedade na Maternidade Ana Braga, zona leste de Manaus.

A dona de casa tem 31 anos e estava grávida de nove meses do seu sexto filho. Ao sentir fortes dores, que seriam as contrações, foi encaminhada para o trabalho de parto.

Segundo sua enteada Luana, Andriele fez um ultrassom na quinta-feira, 7, e em seguida o médico da maternidade, Antenor Barbosa, informou que a criança estava acima do peso e que havia “passado da hora de nascer.”

Grávida com bebê morto na barriga aguarda atendimento sentada na cadeira do Ana Braga (Reprodução) 

De acordo com Luana, as condições e a falta de equipamentos na maternidade fizeram com que a madrasta ficasse com o feto morto dentro do seu útero por quase 72 horas.

“A situação está crítica aqui, minha madrasta está grávida e o feto está com nove meses e morto dentro dela. Essa dificuldade toda não é só com ela, tem muitas outras mulheres grávidas aqui com complicações. Não tem medicamentos, não tem fios para fazer a cirurgia, isso é grave demais ” disse.

Em condições precárias, a paciente esperou pela cirurgia para expelir o feto, sentada em uma cadeira de corredor. A enteada informou que os enfermeiros da maternidade Ana Braga apenas diziam que não havia material para fazer o procedimento.

Para ela, a culpa não é dos profissionais e sim do Governo do Estado ao se omitir quanto às questões da saúde pública no Amazonas.

“O que eu tenho observado, é que a culpa não é dos médicos e enfermeiros, mas sim do Estado que não fornece os medicamentos e materiais para que os profissionais possam tomar as providências necessárias em situações básicas de saúde”, afirmou.

Procurada sobre o assunto, a Susam enviou a seguinte nota:

“A maternidade Ana Braga esclarece que a paciente Andriele Costa Alves deu entrada na unidade na noite da última quinta-feira, onde recebeu todo o atendimento necessário, com uso de antibiótico e acompanhamento da equipe médica. O procedimento para a retirada do feto foi realizado neste sábado.”

Faça um comentário