MENU

Copyright © Portal Amazonas1. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita.

Pais e crianças precisam estar em alerta nessa pandemia, diz psicóloga

Nessa pandemia da Covid 19, é necessário pais e filhos estarem atento aos sinais de cuidados com a saúde mental e mudança de comportamento.
• Publicado em 09 de abril de 2021 – 17:57
FOTO : GETTY IMAGES

MANAUS, AM – Devido a pandemia da Covid 19, o isolamento social se tornou mais frequente na vida das pessoas. Um dos públicos mais afetados com essa situação é composto por crianças. Elas sentem medo, alegria e ficam com raiva de qualquer coisa, sinais que se intensificaram com a pandemia e os pais precisam estar em alerta.

Segundo a psicóloga Thayna Braga, formada pela instituição de Ensino Martha Falcão, afirma que os sinais dependem de como essa criança é normalmente no seu dia a dia. Se for uma criança mais agitada, mas de repente ela fica mais acuada, ou ficar mais agitada que o de costume, agressiva, passar a não querer se alimentar ou não querer brincar, é hora de desconfiar.

Com as aulas online, as crianças são vetadas de sair, interagir presencialmente com os amigos da escola e isso têm afetado o modo de socializar da criança. Neste caso é necessário, dentro do ambiente familiar, a prática de atividades lúdicas, como por exemplo, separar um tempo para brincar, incentivar a leitura, praticar a conversação. Segundo a especialista, essas atividades ajudam a fazer com que ambos saiam um pouco da rotina.

“Além de organizar uma rotina para os filhos dentro de casa, após o trabalho, os pais devem dar uma atenção maior a eles, principalmente, quando assunto é conversa. Eles, aos finais de semana, devem tirar um horário para estar com as crianças. É um desafio maior para os pais que também estão passando pela pandemia , que também precisam cuidar da própria saúde mental, ainda precisam se atentar para a dos filhos.” afirma psicóloga Thayna Braga.

O caso Henry Borel

O caso garoto Henry Borel de 4 anos tem repercutido no país. A mãe e o padrasto , o vereador Jairinho, estão presos e sendo acusados de agredir e matar o menino, que foi encontrado morto no apartamento do casal.

Com base nesse caso perguntamos a psicóloga Thayna Braga como seria o impacto dessas agressões na fase infantil e como resposta ela afirmou que “a violência na infância irá repercutir em toda a vida da pessoa. Ela poderá se tornar alguém com problemas de confiança. Esse tipo de ação afeta a autoestima, trazendo problemas de relacionamento, além de uma possível naturalização da violência, onde ele poderá no futuro reproduzir esses comportamentos.”

Leia mais: https://amazonas1.com.br/caso-henry-mae-e-dr-jairinho-foram-presos-pela-policia-do-rj/

 

Publicidade

Publicidade

MATÉRIAS RELACIONADAS

Copy link
Powered by Social Snap