Adolescente é executada com seis tiros e crime pode ser tráfico de drogas

Denúncias, sugestão de matérias e outros assuntos

11 de julho de 2020
Site auditado pelo
Manaus
23oC  33oC
Buscar

Redes Sociais

[email protected]

Adolescente é executada com seis tiros e crime pode ser tráfico de drogas

Lenita Silva da Silva foi encontrada morta na noite de sábado, 23,no ramal da Praia Dourada, bairro Tarumã, zona Oeste, com tiros na cabeça, tórax e braço.

Adolescente é executada com seis tiros e crime pode ser tráfico de drogas
O crime ocorreu no ramal da Praia Dourada, bairro Tarumã (Foto: Josemar Antunes/Amazonas1)

Com seis tiros que atingiram a cabeça, braço e tórax, a estudante Lenita Silva da Silva, 14, foi executada na noite de sábado, 23, no ramal da Praia Dourada, bairro Turumã, Zona Oeste de Manaus.

Segundo informações do tenente Abraão Silva, da 20ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), a equipe foi acionada após o Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops) informar sobre a existência de um corpo no ramal.

“Quando chegamos ao local constatamos a denúncia e que o corpo se tratava do sexo feminino. Pelas características, a vítima foi colocada sentada e depois alvejada com tiros. É uma cena deprimente”, comentou o tenente Abraão Silva.

Lenita foi executada com seis tiros (Foto: Josemar Antunes/Amazonas1/Reprodução)

O local onde Lenita foi encontrada é conhecido por várias ocorrências de desovas de corpos.

Após os procedimentos da perícia criminal, o corpo foi recolhido ao Instituto Médico Legal (IML), na zona Norte.

Por volta das 3h deste domingo, 24, a mãe da vítima, identificada como Silvana Mota da Silva, 39, compareceu à Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), após saber da morte.

Conforme a depoente, a filha havia saído de casa na avenida Manaus 2000, no bairro Japiim, na Zona Sul, por volta das 20h, com a intenção de chegar na casa da avó materna, na rua Estanave, no bairro Compensa, Zona Oeste.

Segundo Silvana, a filha se relacionava como uma pessoa envolvida com uma facção criminosa no bairro Compensa [palco de mortes recentes], mas que desconhecia o nome do sujeito.

Após a morte, uma amiga da vítima revelou aos familiares que Lenita já havia cogitado caso ficasse sem dar notícia, era para divulgar fotos dela e fazer procura.

Lenita morava com avó materna.

Testemunhas relataram para a família que Lenita foi vista chagando na casa da avó, mas logo deixou o local em um carro, de características desconhecidas.

Os familiares souberam da notícia pelas redes sociais.

Lenita havia feito uma tatuagem para homenagear um irmão, que morreu.

“Onde quer que você esteja lá estarei contigo, Fernando”, dizia a frase no braço direito.

Investigação

Pelas redes sociais, Lenita mantinha perfil com jargões e frase corriqueiros no mundo do crime.

Em sua última postagem feita no dia 18 de maio, às 22h, a adolescente postou um carrinho com caixas de chocolate em referência ao Dia dos Namorados, comemorado no dia 12 de junho.

No seu circulo de amizade, alguns amigos exibem armas de fogo e fazem apologia às drogas.

Em uma de suas publicações, Lenita lamentou a morte do amigo Samuel Nogueira Ferreira Filho.

O jovem foi alvejado com vários tiros dentro de uma pizzaria, no beco Pantanal, no bairro Compensa.

Além de Samuel, que estava no primeiro dia de trabalho como entregador de lanches, o pizzaiolo Júlio Rodrigues da Silva, também 22, morreu no local.

Outras pessoas ficaram feridas no ataque de seis homens fortemente armados.

A Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) investiga se a morte de Lenita está ligada à guerra entre facções criminosas.

Amazonas1 TV

Publicado por Amazonas1

COMENTÁRIOS

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do portal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio ou poste spam.

Cadastre-se em nosso newsletter

E fique sempre informado com as últimas notícias