Familiares contestam versão da PM no caso de jovem morta em blitz
26 de janeiro de 2021
Site auditado pelo
Manaus
24oC  29oC
Buscar

Redes Sociais

[email protected]

Familiares contestam versão da PM no caso de jovem morta em blitz

Jovem foi assassinada com um tiro no pescoço. Tio do motociclista Kaio Souza afirma que não havia sinalização de blitz e que a PM agiu de imprudência

Familiares contestam versão da PM no caso de jovem morta em blitz

Familiares do motociclista Kaio Souza, 25, que trafegava com a estudante universitária Thalia Oliveira, 18, assassinada pelo sargento da Polícia Militar Rosivaldo Oliveira, no município de Rio Preto da Eva, na madrugada do último domingo,18, contestam a versão de que o motociclista tenha furado uma barreira policial, fazendo com que o sargento atirasse na direção da motocicleta, atingindo a nuca da estudante.

“Meu primo não fugiu de nada. Se você ver a mancha de sangue marcando a rua, ainda faltava ele passar por um tambor (redutor de velocidade que fica na entrada do município). Esse policial cometeu uma atrocidade, dando tiro pelas costas de duas pessoas”, declarou o tio dele, o técnico em edificações Alan Alex Menezes, ao destacar que a informação sobre a blitz não procede.

O tio ressalta que o sobrinho “nasceu de novo”, pois por pouco ele também não foi atingido pelo tiro do sargento Rosivaldo Oliveira. “O tiro acertou Thalia no pescoço e saiu pela boca. Como ela estava de lado, passou direto o tiro, mas se ela tivesse reta, igual ele, Kaio teria levado o tiro e os dois teriam morrido. Ele nasceu de novo”, disse.

Kaio é sobrinho do prefeito de Rio Preto da Eva, Anderson Souza, no entanto, Alan frisa que apesar do grau de parentesco, não são “rotulados” no município como parentes do prefeito.

“Meu nome é Alan, o nome dele é Kaio. O prefeito não é nossa referência. Eu trabalho, e não é na prefeitura. O Kaio estava trabalhando como motorista em Manaus. Então, a gente não carrega esse rótulo, porque eu tenho a minha própria identidade, o Kaio em a identidade dele. Nós somo parentes do prefeitos, mas na cidade ninguém diz: ‘Ah, lá vai o sobrinho do prefeito’. Ali é, ‘lá  vai o Alan, lá vai o Kaio’”, pontuou.

Alan explicou que o sargento Rosivaldo Oliveira é conhecido no município pelo fato dele ser “alterado” nas blitzes.  Em 2017, Alan conta que foi coordenador de trânsito de Rio Preto da Eva e, na época, pediu para o major responsável retirar o sargento das blitzes, devido ao comportamento inadequado.

Veja também: ‘Um crime que nos deixa sem palavras’, amigos lamentam morte de Thalia

PM suspeito de atirar em Thalia apagou as suas redes sociais

Sobre o ocorrido na madrugada de domingo, o técnico em edificações comentou que Kaio  havia saído com Thalia para deixá-la na casa dela. Ao passar pela barreira policial ele conta que não viu o policial, por não estar com os “aparatos” necessários para se fazer uma blitz.

“Meu primo não viu ele e passou direto. Nem colete refletivo o policial estava usando. Disse também que Thalia foi sacada da moto com o tiro. Um amigo mototaxista viu a ação e o impacto da (pistola) ponto 40 nela. Ela pegou a pancada e caiu da moto e ele (Kaio) não percebeu ela cair”.

Alan ressaltou que um amigo, militar do Exército, conversou com Kaio logo após o tiro e o orientou a não retornar para ver Thalia, pois acreditava que Kaio poderia ser morto pelo policial ou ter “provas” implantadas com o jovem para incriminá-lo.

 “O meu amigo foi lá e puxou o policial pelo colete e disse: ‘você matou a moça, atirou no meu amigo. O policial puxou a arma novamente. Então o outro amigo disse: ‘você vai matar mais gente?’, lembrou.

Kaio , acompanhado do pai, estive presente à delegacia de Rio Preto da Eva para prestar esclarecimento sobre o caso e até a tarde desta segunda o depoimento não havia terminado.

Thalia foi velada na noite de domingo, levando grande multidão de moticiclistas e pedestres ao velório. Na manhã desta segunda-feira, 19, ela foi enterrada no município. Confira o vídeo:

Momentos antes de sair com Kaio, Thalia se divertia com os amigos num posto de combustível na entrada do município. No vídeo, ela aparece dançando e pouco antes de encerrar a gravação, alguém grita: “Morta!”

 

COMENTÁRIOS

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do portal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio ou poste spam.

Cadastre-se em nosso newsletter

E fique sempre informado com as últimas notícias

Loading