Menina de 6 anos conta para professora que ex-padrasto a estuprava
30 de novembro de 2020
Site auditado pelo
Manaus
24oC  29oC
Buscar

Redes Sociais

[email protected]

Menina de 6 anos conta para professora que ex-padrasto a estuprava

O homem, um lavador de carros de 27 anos, foi preso pela Polícia Civil do Amazonas, na tarde desta terça-feira, na zona Centro-Sul de Manaus

Menina de 6 anos conta para professora que ex-padrasto a estuprava

Um lavador de carros, de 27 anos, foi preso pela Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), na tarde desta terça-feira, 3, por estuprar a ex-enteada dele, uma menina de 6 anos.

Veja também: Menina de 13 anos mata homem após tentativa de estupro

O mandado de prisão preventiva em nome do homem foi cumprido, por volta de meio-dia, pela equipe de investigação da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), no local de trabalho dele, em um lava-jato, localizado no conjunto Vieiralves, no bairro Nossa Senhora das Graças, na zona Centro-Sul da cidade.

Menina contou para professora

De acordo com a delegada Joyce Coelho, titular da especializada, no mês de novembro de 2019, a criança comentou com a professora da escola onde ela estudava, que estava sentindo dores nas partes íntimas. Ao ser questionada por ela, a menina relatou os abusos sexuais praticados pelo ex-padrasto.

“Após a revelação desse fato, a escola acionou o Conselho Tutelar, que notificou o genitor da criança. Ele compareceu na unidade policial da especializada, junto do avô paterno da vítima, quando foi feito o registro do Boletim de Ocorrência. A vítima realizou os exames periciais, que confirmaram a violência sexual”, explicou a delegada.

Segundo Joyce, após a descoberta dos abusos, o infrator saiu da casa onde residia e se hospedava em locais incertos. Ainda de acordo com a titular da Depca, o mandado de prisão em nome do indivíduo foi expedido no dia 17 de janeiro de 2020, pela juíza da Central de Inquéritos.

Procedimentos

Indiciado por estupro de vulnerável, o lavador de carros será levado para a audiência de custódia, ao término dos procedimentos cabíveis, na unidade policial.

 

 

 

(*) Com informações da assessoria

COMENTÁRIOS

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do portal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio ou poste spam.

Cadastre-se em nosso newsletter

E fique sempre informado com as últimas notícias

Loading