Cassados por fraude, parlamentares do AM questionam decisão

Denúncias, sugestão de matérias e outros assuntos

5 de agosto de 2020
Site auditado pelo
Manaus
23oC  33oC
Buscar

Redes Sociais

redacao@amazonas1.com.br

Cassados por fraude, parlamentares do AM questionam decisão

Joana D'Arc, que hoje é deputada estadual, diz que foi eleita de forma legítima. Mirtes Salles reforça que não há nenhuma denúncia contra ela

Cassados por fraude, parlamentares do AM questionam decisão

Os vereadores Sargento Bentes Papinha, Fred Mota, Claudio Proença e Mirtes Salles (suplente que se titularizou na vaga este ano), todos do PL, tiveram seus mandatos cassados nesta quarta-feira, 21, por conta de denúncias de irregularidades na campanha eleitoral de 2016, quando foram eleitos para a Câmara Municipal de Manaus (CMM). 

A denúncia foi apresentada pelo Ministério Público Eleitoral do Amazonas e, julgada e acatada pela da 37ª Zona Eleitoral, Kathleen dos Santos Gomes. Em seu despacho, a magistrada alegou constar fraude no registro de candidaturas durante a eleição de 2016. A decisão foi publicada no Diário da Justiça Eletrônico e cabe recurso.

A perda do mandato atinge também a deputada estadual e líder do governo Wilson Lima (PSC), Joana D’Arc, que foi eleita vereadora nessa eleição de 2016. 

Em nota, a parlamentar declarou que “fui eleita de maneira justa e democrática em 2016 para ser vereadora, e em 2018 recebi mais uma vez o voto de confiança da população do Amazonas para que pudesse representar o povo na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas.”

O Amazonas1 procurou os quatro vereadores cassados, mas somente Mirtes Salles – primeira suplente do partido e que entrou na vaga deixada por Joana D’Arc – se manifestou.

Por meio de sua assessoria de imprensa, a vereadora respondeu que não existe denúncia alguma de crime cometido por ela naquela eleição. “Inclusive, tive minhas contas aprovadas pelo TRE-AM”, disse na nota.

“Estou tranquila em relação a minha história política e ao trabalho que desenvolvi em mandatos anteriores, e venho desenvolvendo ao longo desses 7 meses”, acrescentou Mirtes.

“Minha defesa será feita e confio na Justiça do meu Estado, afinal, sou, e sempre fui defensora dos direitos do cidadão por entender que todos têm direito à defesa”, concluiu a vereadora.

Os demais vereadores não foram encontrados para comentar a decisão e, também não se manifestaram em suas redes sociais.

Nota de Fred Mota

O vereador Fred Mota disse que não tem muito conhecimento do caso, já que é um problema com o partido que acabou abrangendo todos os membros, “independente de participação ou culpa de qualquer um dos vereadores”, disse o parlamentar em nota emitida para a imprensa.

“Infelizmente, a decisão foi de punir os parlamentares por um suposto erro praticado pelo Partido. Continuo com o compromisso de estar com as mãos limpas e me manter fora de qualquer tipo de falcatruas que possam macular a minha imagem”, acrescentou o vereador. Ele concluiu dizendo que confia na justiça e quer que tudo seja esclarecido.

Amazonas1 TV

Publicado por Amazonas1

COMENTÁRIOS

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do portal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio ou poste spam.

Cadastre-se em nosso newsletter

E fique sempre informado com as últimas notícias

Loading