Roberto Carlos: nos 80 anos do Rei, fãs do Amazonas lembram histórias e paixão - Amazonas1
15 de maio de 2021
Site auditado pelo
Manaus
24oC  29oC
Buscar

Redes Sociais

[email protected]

Roberto Carlos: nos 80 anos do Rei, fãs do Amazonas lembram histórias e paixão

Roberto Carlos comemora seu aniversário de 80 anos nesta segunda-feira (19). Destes, mais de 60 foram dedicados à música popular brasileira

Roberto Carlos: nos 80 anos do Rei, fãs do Amazonas lembram histórias e paixão
Cantor celebra 80 anos de idade nesta segunda-feira. Foto: Fábio Rocha/Globo

MANAUS, AM – O cantor, compositor e intérprete Roberto Carlos celebra seus 80 anos de idade nesta segunda-feira (19). Com uma carreira de mais de 60 anos, suas músicas tem embalado a vida de diversos brasileiros. No Amazonas, inclusive, a regra também é válida. Desde uma história com um antigo romance até a iniciação na música, alguém sempre guarda uma relação com o cantor.

Em uma das vezes que veio a Manaus, Roberto se apresentou no Teatro Amazonas, em um evento voltado para donos de locadoras de vídeo. Uma das músicas apresentadas por RC foi O Calhambeque (1964). No meio da música, um Cadillac anos 60 surgiu no palco do Teatro, conforme a aposentada Vera Lúcia Rodrigues, de 63 anos.

80 anos Roberto Carlos

Cantor se apresentou no Teatro Amazonas, em 2004. Foto: Arquivo Revista Ver Vídeo

“Era um evento da Videolar para os donos de locadoras. Na época, meu irmão e eu éramos donos de locadoras de vídeo em Manaus e em Boa Vista. Recebemos o convite e decidimos ir. Foi um show incrível, que tinha até mesmo o José Wilker [já falecido] como apresentador”, relembra.

No embalo do romance

O mestre-de-obras Natan Castro, de 50 anos, conta que começou a ser fã do Rei durante a década de 1980. Desde então, ele passou a ser um fã incondicional de Roberto Carlos. Ele conta que costumava adquirir os álbuns assim que eram lançados, mas com o tempo, acabou perdendo os discos.

“De lá pra cá, são mais de 40 anos que as músicas dele embalam a minha vida. Eu tinha uma coleção imensa com os álbuns dele, inclusive alguns LPs. Só que como o tempo foi passando, esses discos acabaram se deteriorando. Perdi a maioria deles, infelizmente”, afirma.

Leia mais: Cruzeiro de Roberto Carlos é adiado para 2022 por causa da pandemia

Uma das músicas preferidas de Natan é Cama e Mesa (1981). O mestre-de-obras não conseguiu ir a nenhum show do cantor em Manaus  por não ter dinheiro. No entanto, ele ainda quer realizar o sonho de ver o octogenário Rei.

“No meu tempo de adolescente, costumávamos escrever as letras dele em cartinhas para as namoradas, e eu fiz isso com ‘Cama e Mesa’. E dava certo. Quando ele veio aqui em Manaus, não consegui ir nos shows. Mas um dia vou realizar esse desejo, e ainda vou entregar uma camisa do Nacional FC para ele”, completa.

Iniciação musical

Para o jornalista e filmmaker Gabriel Costa, celebrar os 80 anos de Roberto Carlos carrega um significado mais especial. Além da contribuição de Roberto à música brasileira, ele também foi responsável indiretamente pela iniciação musical de Gabriel. O jornalista deu seus primeiros passos na música por causa das canções do Rei.

“Meu pai tinha uma pasta com mais de 600 cifras de músicas do Roberto Carlos. Quando eu comecei a estudar violão, ainda tínhamos esse livro de cifras em casa. Então eu usava as músicas dele para estudar e me aperfeiçoar no instrumento”, conta.

Lembrança familiar

A relação da enfermeira Jane Uchoa, de 50 anos, com o Rei, passa diretamente pela relação com o seu próprio pai, Carlos. Segundo ela, o pai era um fã incondicional das canções de Roberto Carlos. A partir dessa influência, Jane passou a gostar das músicas interpretadas por Roberto.

“Meu pai gostava demais de ouvir as canções dele. Na minha infância, lá pelos anos 1970, eu comecei a ouvir e criar gosto. Isso foi a partir de 1976. Todos os anos, até hoje, eu não perdia e não perco um especial dele na televisão. Pra mim, era muito emblemático”, conta.

80 anos Roberto Carlos

Jane ainda guarda um LP do cantor que era do pai. Foto: Arquivo pessoal

Jane diz que as músicas do Rei que mais marcam a sua vida são Força Estranha (1978) e Meu Querido, Meu Velho, Meu Amigo (1979). As duas a fazem lembrar do pai, falecido em 2001. Ela conta que nunca teve condições de assistir um show de Roberto ao vivo, mas ainda tem o sonho de ver o Rei.

“Nós tínhamos os LPs, os vinis, e essas músicas eram as favoritas do meu pai. Ainda hoje, inclusive, tenho sonho de ver um show do Roberto Carlos ao vivo. Nunca consegui porque era muito caro, mas assistir um show do Roberto Carlos ao vivo é um dos meus sonhos”, salienta.

COMENTÁRIOS

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do portal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio ou poste spam.

Cadastre-se em nosso newsletter

E fique sempre informado com as últimas notícias

[email-subscribers-form id="1"]