Manaus, 13 de julho de 2024
×
Manaus, 13 de julho de 2024

Cidades

Rodoviários prometem ir à Justiça contra o prefeito de Manaus e dizem que haverá greve

Rodoviários prometem ir à Justiça contra o prefeito de Manaus e dizem que haverá greve

Presidente do Sindicato dos Rodoviários do AM- (Foto: Divulgação)

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Manaus (STTRM), Givancir Oliveira, disse que o sindicato entrará com ação criminal na Justiça contra a Prefeitura de Manaus, por danos morais e por calúnia e difamação, após o prefeito Arthur Virgílio Neto falar que a categoria tinha conluio com os empresários do transporte público.

Givancir Oliveira afirmou, ainda, que o sindicato também tem ‘bala na agulha’ e que não vai se intimidar – Foto: Divulgação

Givancir Oliveira afirmou, ainda, que o sindicato também tem ‘bala na agulha’ e que não vai se intimidar com ameaças e intimidações de quem quer que seja. “Vai ter greve sim, doe a quem doer. Não tem conluio com ninguém. E que me desculpe a população pela greve, mas brigo pelos rodoviários que me colocaram aqui”, disparou.

As declarações do presidente do Sindicato, em coletiva na tarde de ontem (23), foram em resposta ao vídeo do prefeito de Manaus, Arthur Neto, publicado nas redes sociais, na noite da última segunda-feira (22), em que ele recomendou que os empresários e rodoviários entrassem em consenso para não entrarem em “guerra total contra a prefeitura porque não vão se dar bem. Não sou medroso e não sou burro”.

Oliveira disse que a categoria está há dois anos sem reajuste e, por isso, está aberta ao diálogo. Segundo ele, os rodoviários querem reajuste de 7%, recolhimento do INSS, o pagamento de horas extras, feriados e do dissídio coletivo.

O presidente do sindicato deu de dez dias para a Prefeitura e os empresários cheguem a um acordo sobre o reajuste, senão haverá outra greve geral no transporte público de Manaus.

Reunião

Na última sexta-feira (19), o prefeito em exercício, Marcos Rotta (PSDB), se reuniu com o sindicato dos Rodoviários e o Sindicato das Empresas de Transporte de Manaus (Sinetram) e descartou ameaça de greve do transporte público, afirmando que as reivindicações da categoria seriam sanadas.

Na ocasião, o tesoureiro do sindicato dos rodoviários, Josildo de Oliveira, disse que ficou acertado a busca de novas alternativas para que se chegue ao reajuste salarial da categoria e mantenha-se o valor da tarifa.