MENU

Copyright © Portal Amazonas1. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita.

Saída da Petrobras não afetará economia do Amazonas, diz Sefaz

Em nota, a Secretaria de Estado da Fazendo (Sefaz), lembrou que a estatal já realizava desinvestimentos no estado há 04 anos
• Publicado em 29 de junho de 2020 – 17:28
foto: Petrobras

A Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) emitiu nota na manhã desta segunda-feira, 29, informando que a economia do Estado não será afetada com a saída da gigante Petrobras. Segundo a secretaria, os investimentos de novas empresas preservarão os empregos já admitidos nos campos de exploração de águas profundas no estado.

O anúncio da venda de suas operações em produções de gás natural e petróleo provocou divergências de opinião  entre parlamentares estaduais, municipais e federais.

Saiba mais em: Parlamentares do AM divergem sobre venda dos campos de petróleo e gás da Petrobras

Serafim Correa (PSB) defende, que a saída da estatal do Amazonas, acarretará em desemprego e má arrecadação de impostos. José Ricardo (PT), também tem a mesma perspectiva e vai além, visto que, para ele, o estado é vítima de um “entreguismo” do governo Bolsonaro.

Em contramão ao que o deputado estadual Serafim Correa e outros parlamentares levantaram a respeito da saída da estatal do Amazonas, a Sefaz sustenta que o estado não terá a economia afetada e aponta, também, que a venda das operações de exploração de gás natural já vinha sendo sinalizada há 04 anos. A secretaria informa, ainda, que tanto isso vinha ocorrendo que em 2019, a companhia saldou parte de sua dívida de ICMS com Estado, repassando cerca de R$ de 250 milhões – fortalecendo a receita e segurança jurídica para a venda das operações de gás natural.

Ainda segundo o documento oficial, Alex Del Giglio, secretário da pasta, volta a afirmar que a saída já era prevista e que a decisão de se desvincular do estado não seria uma particularidade com o Amazonas. Del Giglio aponta outros estados no país que se despediram da Petrobras. Segundo o secretário, é uma alternativa que a empresa vem adotando para sanar dívidas.

“Pelo site da própria Petrobrás, no programa que eles chamam de Novos Caminhos, eles estão fazendo os teaseres, que são essas vendas de ativos, em vários estados. Assim como no Amazonas, no ES, PA, AL, SE, enfim… o que mostra que não é uma situação específica do Estado e sim do País, porque ela vai focar em operações que ela tenha ganho de escala, que são as operações maiores da empresa. E é até uma forma de ela conseguir capital. Hoje, as dívidas da Petrobrás são muito altas, então fazendo esse desinvestimento, injeta caixa na empresa, que na circunstância atual é muito importante”, disse o secretário.

Publicidade

Publicidade

MATÉRIAS RELACIONADAS

Copy link
Powered by Social Snap