Manaus, 29 de maio de 2024
×
Manaus, 29 de maio de 2024

Cidades

Solução para o acesso à universidade, Enem mudou a vida de amazonenses

Estudantes precisam ficar atento aos prazos de inscrição do Enem, que possibilita concorrer às vagas do Prouni e demais programas do governo federal.

Solução para o acesso à universidade, Enem mudou a vida de amazonenses

(Fotos: Acervo pessoal)

Manaus (AM) – O acesso ao ensino superior no Brasil ainda é restrito a uma parcela pequena da população, apesar das políticas de inclusão, a realidade é que muitos estudantes ainda esbarram nas mais diversas dificuldades.

Dadas as circunstâncias, os programas sociais surgem como solução para o acesso à universidade; por exemplo, o Programa Universidade Para Todos (Prouni), que tem sido o passaporte de muitos jovens para a faculdade.

E os estudantes que não querem perder essa oportunidade precisam ficar atentos aos prazos de inscrição para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que proporciona a possibilidade de concorrer às vagas do Prouni e demais programas do governo federal.

As inscrições para o Enem 2024 começam no dia 27 de maio e vão até 7 de junho e, segundo o Ministério da Educação, a taxa de inscrição é R$ 85, e precisará ser quitada entre os dias 27 de maio e 12 de junho. A inscrição só será efetivada depois do pagamento, para quem não solicitou isenção, que se encerrou em 26 de abril.

Foi bem difícil, mas eu consegui!

Lucas Bandeira Mesquita, de 23 anos, é um desses jovens que conseguiu cursar administração com a bolsa de estudos por intermédio do Enem.

Trigêmeo com Mateus e Marcos, Lucas conta que sempre estudou em escola pública. E já que os pais não tinham condições para pagar cursinho, ele se preparou com os livros que possuía.

“O meu cursinho era nos meus próprios livros da escola pública, que eu sentava na cama, nas tardes, principalmente no fim de semana, para ler. Também aproveitava para ler editais dos processos seletivos, e, com isso, ter uma noção”, revela Lucas, que contou que os irmãos dele também conseguiram a graduação por meio do Enem.

Em 2018, no ano de conclusão do ensino médio, Lucas só contava com o fim de semana e os feriados para se dedicar aos estudos, já que precisou trabalhar como aprendiz.

Ele conta que se identificou na área administrativa — o que contribuiu para a escolha da profissão. Aos sábados e domingos, toda a atenção era voltada ao treino, inclusive, da redação, fundamental para a aquisição do percentual da bolsa de 100% que conquistou.

 

Lucas Bandeira Mesquita

“Eu poderia me matricular em qualquer curso, com exceção de Direito e Medicina, mas eu optei por administração de empresas”, disse o jovem, que deseja se destacar na carreira até chegar a um cargo de chefia.

Mesmo com a bolsa de estudos e o trabalho como menor aprendiz, Lucas conta que continuou a se esforçar, pois queria ser efetivado na empresa em que já atuava. “Eu dormia tarde e acordava cedo. Às vezes, eu dormia só três horas por noite. Chegava da faculdade por volta das 11 horas, aí eu me alimentava e ia estudar. Realmente é uma rotina difícil, porém, isso tem um prazo, né? Quando você se dedica, o prazo é médio, e a recompensa chega”, comemora o agora graduado e administrador de empresas, que destaca o esforço, dedicação, e as muitas horas que passou no transporte coletivo para conciliar faculdade, trabalho, e ainda o estágio obrigatório. Os irmãos dele escolheram fisioterapia, e também já estão formados.

Apoio da família

Natural de Parintins, o engenheiro mecânico Marco Godinho, de 25 anos, encontrou na família o apoio que precisava para estudar. Tentou o Enem, porém, a nota obtida não foi suficiente para conseguir uma bolsa integral.

De família humilde, o pai, serralheiro e a mãe, auxiliar de cozinha, lhe enviaram para a capital amazonense. Marco foi morar com a avó, recebendo todo o apoio para poder fazer um curso preparatório e melhorar as notas. No ano seguinte, foi aprovado com nota suficiente para ser agraciado com bolsa de 100% pelo Prouni em uma faculdade particular. A oferta dos familiares durante o período de faculdade permitiu que Marco Godinho se dedicasse integralmente aos estudos.

 

A avó de Marco morreu antes que ele conseguisse concluir a faculdade; ainda assim, o carinho e o respeito pela dedicação da avó o impulsionaram e ele conseguiu o título de melhor aluno da turma.

A honraria foi, inclusive, entregue pelo presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Amazonas (CREA-AM), Afonso Lins.

“Hoje, vejo possibilidades que não enxergava antes. Ainda estou começando na profissão, mas trabalhar na área que sonhei é muito bom. Tudo que precisei abdicar não parece ter sido perda de tempo; pois tudo valeu a pena”, comemora o jovem, que atua na área que escolheu como formação há aproximadamente dois meses.

Caloura

Larissa Gomes tem 17 anos e concluiu o ensino e médio no ano passado e também foi aprovada no Enem para o curso de Designer.

A adolescente conta que conseguiu uma boa pontuação na redação, 880, e isso foi fundamental para conseguir a bolsa integral de 100% pelo Prouni.

“Eu ainda fiquei em 7° lugar em uma lista de espera, mas de repente, fui chamada para entregar os documentos. Eu consegui a bolsa”, comemora a jovem, que ainda busca pelo diploma, mas que já se sente realizada por conquistar o acesso à faculdade com bolsa de 100%.

 

LEIA MAIS: