YouTube remove vídeo de Bia Kicis por promover 'desinformação' - Amazonas1
21 de abril de 2021
Site auditado pelo
Manaus
24oC  29oC
Buscar

Redes Sociais

[email protected]

YouTube remove vídeo de Bia Kicis por promover ‘desinformação’

No material removido, a deputada entrevista um médico negacionista da pandemia, chamado Alessandro Loiola

YouTube remove vídeo de Bia Kicis por promover ‘desinformação’
Foto: Estadão Conteúdo

Indicada pelo PSL para assumir a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), a mais importante comissão da Câmara dos Deputados, a deputada federal Bia Kicis (PSL-DF) teve um vídeo removido pelo YouTube, neste sábado (6), por “promover desinformação sobre a covid-19”.

No material removido, a deputada entrevista um médico negacionista da pandemia, chamado Alessandro Loiola. Ele é autor do livro intitulado “Covid-19: a fraudemia”, um compêndio de teses anticientíficas e teorias conspiratórias.

“A minha resposta será no Parlamento, como uma deputada que seguirá lutando pela liberdade de expressão e contra os abusos daqueles que se julgam donos da verdade e querem transformar a ciência em uma ciência fascista, sem espaço para o debate e a pluralidade”, disse a deputada Bia Kicis.

Recentemente, o YouTube havia removido outra entrevista com Loiola, ao jornalista Luís Ernesto Lacombe. Credita-se também a ele um tuíte que teria inspirado citação feita pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) a um estudo alemão sobre efeitos colaterais do uso de máscaras em crianças, um artigo que não havia sido revisado por pares acadêmicos nem publicado por revistas científicas.

“O YouTube tem políticas claras sobre o tipo de conteúdo que pode estar na plataforma e não permite vídeos que promovam desinformação sobre a Covid-19”, declarou a plataforma do Google, por meio de nota.

“Desde o início de fevereiro, analisamos e removemos manualmente mais de 800 mil vídeos relacionados a afirmações perigosas ou enganosas sobre o vírus. É nossa prioridade fornecer informações aos usuários de maneira responsável, por isso continuaremos com a remoção de vídeos que violem nossas regras.

(*) Com informações do Metrópoles 

COMENTÁRIOS

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do portal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio ou poste spam.

Cadastre-se em nosso newsletter

E fique sempre informado com as últimas notícias

[email-subscribers-form id="1"]