Nova linha de transmissão é inaugurada sob a ponte Rio Negro

US - R$ 4,20

×

Nova linha de transmissão é inaugurada sob a ponte Rio Negro

Projetada para reforçar o fornecimento de energia aos municípios de Iranduba e Manacapuru, a nova linha substitui os cabos subaquáticos que foram danificados após curto-circuito

Nova linha de transmissão trifásica foi construída sob a ponte jornalista Phelipe Daou (Foto: Divulgação)

O circuito de cabos aéreos da nova linha de transmissão trifásica, projetado para reforçar o fornecimento de energia aos municípios de Iranduba (distante 27 km em linha reta de Manaus) e Manacapuru (68 km em linha reta), para substituir os cabos subaquáticos, foi inaugurado nesta quarta-feira, 16. A obra sob a ponte Jornalista Phelippe Daou (Rio Negro), foi implantada pela Amazonas Energia.

Para solucionar de forma definitiva o fim dos apagões que prejudicaram os moradores de Iranduba e Manacapuru, municípios da Região Metropolitana de Manaus, por conta de um curto nos cabos subaquático ocorrido em julho deste ano,  o projeto de implantar a linha de transmissão elétrica área, saiu do papel e após 65 dias de obras, com o apoio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento da Região Metropolitana de Manaus (SRMM), teve sua instalação  finalizada.

“Essa manutenção é uma linha de transmissão normal, aérea, com torres como existe em todo Estado. Aqui a característica principal é o fato dela ser dependurada na ponte, o que exigiu um trabalho gigante e cuidadoso. Essa linha exigiu que pessoas trabalhassem em gaiolas, suspensas, com muito cuidado. Com relação a acidentes, nada houve em 65 dias”, afirmou o diretor-presidente da Amazonas Energia, Tarcísio Rosa.

Foram implantadas, ainda, estruturas tubulares e de concreto, cabos condutores, assim como três cadeias de isoladores. Participaram da inauguração autoridades estaduais e municipais. A solenidade  aconteceu sobre as águas do rio Negro em uma embarcação posicionada próximo a ponte permitindo uma visão do cabeamento instalado em toda extensão da parte inferior do monumento.

(*) Com informações Assessoria Amazonas Energia e Secom

Faça um comentário