Prefeitos serão multados por falta de transparência em compras durante pandemia - Amazonas1
26 de novembro de 2020
Site auditado pelo
Manaus
24oC  29oC
Buscar

Redes Sociais

[email protected]

Prefeitos serão multados por falta de transparência em compras durante pandemia

Ministério Público de Contas afirma que os portais de transparência das prefeituras de Carauari, Ipixuna, Guajará e Envira são desatualizados e deficientes

Prefeitos serão multados por falta de transparência em compras durante pandemia
Foto: Reprodução

Os prefeitos de Carauari, Ipixuna, Guajará e Envira receberão multa de R$ 500 por dia de atraso por não atenderem recomendação do Ministério Público de Contas (MPC-AM) e continuarem omitindo informações nos portais de transparência das compras realizadas sob justificativa de combate à pandemia de covid-19.

A representação assinada pela procuradora Elissandra Alvares informa aos conselheiros do Tribunal de Contas do Estado (TCE-AM), que apesar de todas as recomendações e alertas, o Portal de Transparência dos prefeitos Bruno Ramalho (Carauari), Maria do Socorro (Ipixuna), Ordean Gonzaga (Guajará) e Ivon Rates (Envira) “continuam com informações desatualizadas e deficientes”.

Leia mais: Polícia Federal deflagra Operação Off-Label em Boca do Acre, Guajará e Pauini

“O MPC-AM recomendou aos municípios que mantenham portal de transparência com as ações públicas, enquanto durar a situação emergencial decorrente da pandemia do covid19, permitindo o acompanhamento de todas as medidas adotadas com fundamento nesse estado excepcional, no entanto, não houve resposta até o momento”, diz a recomendação.

Leia mais: Falta de informações sobre gastos de verbas públicas na pandemia é alvo do MPC

Mais do Mesmo

Em maio o TCE-AM emitiu alerta de Responsabilidade Fiscal ao Estado e municípios sobre a necessidade de implementar medidas voltadas à transparência das ações e atos de gestão no prazo de cinco dias.

Naquele momento outra recomendação aos prefeitos de Edson de Paula (Barreirinha), Eraldo Trindade (Boa Vista dos Ramos), Gledson Paulain (Nhamundá) e Anderson Souza (Rio Preto da Eva), cobrou transparência nas contratações públicas em caráter emergencial durante a pandemia.

Leia mais: Anderson Souza compra R$ 4,5 milhões em combustível para Rio Preto da Eva

COMENTÁRIOS

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do portal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio ou poste spam.

Cadastre-se em nosso newsletter

E fique sempre informado com as últimas notícias

Loading