Cheia de 2021 pode superar enchente histórica de 2012? Relembre cheias que marcaram a região Norte - Amazonas1
19 de abril de 2021
Site auditado pelo
Manaus
24oC  29oC
Buscar

Redes Sociais

[email protected]

Cheia de 2021 pode superar enchente histórica de 2012? Relembre cheias que marcaram a região Norte

Pesquisadores do Serviço Geológico do Brasil estudam possibilidade de um possível novo recorde com a cheia do Rio Negro

Cheia de 2021 pode superar enchente histórica de 2012? Relembre cheias que marcaram a região Norte
Foto: Divulgação

MANAUS, AM – Todos os anos, os amazonenses passam pela famosa ‘cheia do Rio Negro’. Apesar de a população já estar acostumada com o fenômeno natural amazonense, cientistas analisam todos os sinais das águas durante o esse período para avaliar como a cheia afetará a sociedade. No dia 31 de março, o Serviço Geológico do Brasil (SGB – CPRM) divulgou o primeiro alerta referente à enchente para Manaus. E, neste ano, o CPRM decidiu estender as análises para os munícipios de Manacapuru (AM) e Itacoatiara (AM).

O CPRM informou que, em 2021, existe a probabilidade da cheia de 2021 superar a de 2012, entretanto, essa ainda foi a primeira previsão. O centro ainda fará mais algumas previsões no final de abril e em maio. O Portal Amazonas 1 entrou em contato com a pesquisadora de geociências do CRPM, Luna Gripp Simões Alves, que falou sobre a probabilidade de termos uma nova cheia histórica, sendo a pior cheia que o Amazonas já passou em anos.

“O que determina a magnitude dessas cheias são as chuvas que ocorrem em todas as bacias que deságuam para essa região, como a bacia do Negro, do Solimões e todos os seus afluentes (Purús, Juruá, Japurá, Jutaí e etc). Como são bacias de grandes magnitudes, o tempo que a água leva para percorrê-las também é muito grande, da ordem de meses. Assim, a cheia que ocorre em junho depende das chuvas que ocorre em todas essas grandes bacias, considerando um grande intervalo de tempo”, contou a pesquisadora.

Leia mais: Cheia do Rio Negro deve ser uma das cinco maiores em 2021, diz David Almeida

Luna relatou que foi observada, neste ano, grande quantidade de chuva em uma grande parte da Bacia Amazônica e isso é o motivo do aumento expressivo dos rios.

“Agora, ao final de março, o rio Negro apresenta uma cota expressivamente alta para o período. Esse fato, associado a uma expectativa de chuvas, também acima do esperado para os próximos meses, nos indica a possibilidade de uma cheia de grandes magnitudes para a região. A mesma análise pode ser observada para Manacapuru e Itacoatiara”, relatou Gripp.

A pesquisadora reafirma que, até o momento, são apenas previsões. Ela afirma que o fato só poderá ser confirmado quando estiver mais próximo dos meses de cheia.

“Por enquanto, essa é uma previsão mais abrangente, mais qualitativa. Ainda falta bastante tempo para o período de cheias, então, quanto mais próximos do evento, melhor vai ser a probabilidade de ter uma previsão assertiva. No final de abril, nós apresentaremos uma nova previsão, com os dados atualizados, e outra ao final de maio”, finalizou a pesquisadora.

Relembre algumas cheias que marcaram toda Região Norte do Brasil

Amazonas – Rio Negro em 2012

De acordo com dados do CPRM, essa enchente durou 230 dias e o Rio Negro chegou a 29,97 metros na medição do Porto de Manaus. Em 110 anos de recorrência, essa foi a maior cheia já registrada na história.

A cheia atingiu tanto o interior, quanto a capital do estado do Amazonas. Alguns bairros foram atingidos e ficaram debaixo d’água. Muitas vias de trânsito precisaram ter suas rotas alteradas, porque não tinha a possibilidade dos veículos trafegarem.

Na época, muitas famílias foram prejudicadas com a enchente. O governo precisou disponibilizar um bolsa-auxilio para as famílias afetadas.

Foto: Divulgação

 

Rondônia – Rio Madeira em 2014

Em 2014, Porto Velho (Rondônia) também passou por momentos de aflição com a cheia do Rio Madeira, que chegou à marca de 19,69 metros. O estado entrou em alerta total, pois muitas famílias foram prejudicadas com a enchente. Cerca de 12,5 mil pessoas ficaram desabrigadas.

Não apenas Porto Velho, mas outras localidades próximas foram afetadas, como os munícipios de Novo Mamoré, Guajará-mirim, Candeias do Jamari, São Carlos e Nazaré.

Foto: Divulgação DECOM

 

Acre – Rio Acre em 2015

Ultrapassando a marca histórica de 1997, quando marcou 17,66 metros, o rio Acre, em Rio Branco, chegou a 17,88 metros em 2015.

Muitas famílias da região foram afetadas com a enchente. Na época, um total de 6 mil pessoas ficaram desabrigadas. As águas atingiram 40 bairros da capital.

Foto: Pedro Devani / SECOM AC

Para mais informações sobre a situação da cheia de 2021, assista ao vídeo sobre o 1º Alerta de cheias de Manaus:

COMENTÁRIOS

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do portal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio ou poste spam.

Cadastre-se em nosso newsletter

E fique sempre informado com as últimas notícias

[email-subscribers-form id="1"]