Manaus, 24 de julho de 2024
×
Manaus, 24 de julho de 2024

Cidades

Dia do Homem: saúde masculina vai além dos exames de próstata

Segundo a especialista, os exames de rotina são indicados pelo menos uma vez ao ano, o que pode variar a depender de orientação médica.

Dia do Homem: saúde masculina vai além dos exames de próstata

(Foto: depositphotos.com/)

Manaus (AM) – Quando se fala em saúde masculina, é comum lembrar de exames que avaliam as condições da próstata, como o PSA ou toque retal. No entanto, há uma série de testes igualmente importantes que devem ser realizados com periodicidade para garantir que o organismo continue em bom funcionamento.

Celebrado em 15 de julho, o Dia do Homem foi criado com apoio da Organização das Nações Unidas (ONU) para conscientizar a população a respeito dos cuidados com a saúde masculina, evitando diagnósticos tardios para diversas condições tratáveis. O enfoque preventivo é crucial para uma vida longa e saudável.

Um levantamento da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) revela que quase metade dos homens acima de 40 anos (46%) não costuma realizar consultas de rotina e eles só vão ao médico quando sentem algum sintoma. Além disso, só três em cada dez se dizem muito preocupados com a própria saúde.

“Os exames para homens podem ser divididos entre aqueles específicos, como o PSA Total e Livre, e o espermograma, e os que são indicados independente do gênero. Neste caso, podemos citar o hemograma, colesterol total e frações, glicose, ureia, creatinina, TGO e TGP [enzimas do fígado], TSH e T4L [tireoide], exames de urina [EAS] e de fezes [EPF]”, explica a bioquímica e coordenadora técnica do Sabin Diagnóstico e Saúde, Luciana Figueira.

Rotina
Segundo a especialista, os exames de rotina são indicados pelo menos uma vez ao ano, o que pode variar a depender de orientação médica. Os testes avaliam desde as células sanguíneas do paciente, como o hemograma, feito a partir de uma amostra de sangue, até a presença de infecções urinárias (exame EAS) ou parasitas no organismo, identificados pelas fezes (EPF). Esses dois últimos são feitos com a entrega de amostras de urina ou fezes a um laboratório especializado.

“Um exame importante é o de colesterol total e frações, que permite avaliar os níveis dos tipos de colesterol no corpo e identificar se é necessário fazer algum ajuste na alimentação, evitando problemas como infarto ou doenças arteriais periféricas. Outro exame presente nos check-ups é o de glicose, que avalia o nível de ‘açúcar’ no sangue, auxiliando no diagnóstico e tratamento do diabetes”, afirma a especialista.

Há também exames que podem indicar como anda o funcionamento de órgãos do corpo. Os de ureia e creatinina, por exemplo, permitem analisar o nível dessas substâncias. Valores elevados podem indicar problemas no rim. O teste é feito a partir de uma amostra de sangue analisada em laboratório.

Já os exames de TGO (transaminase oxalacética) e TGP (transaminase pirúvica) avaliam o funcionamento do fígado, auxiliando na investigação de doenças que vão de cirrose a câncer no fígado. Por fim, os exames de TSH e T4L avaliam os níveis do hormônio estimulador da tireoide (TSH) e da tiroxina (T4), produzidos pela tireoide.

Um dos diagnósticos possíveis com o exame é a existência de hipertireoidismo (superprodução de hormônios) ou hipotireoidismo (baixa produção). Os quatro exames citados são feitos por meio de uma amostra de sangue.

Específicos

Entre aqueles exames identificados como específicos para o gênero masculino, estão o toque retal, PSA Total e Livre e espermograma. Vale ressaltar que os dois primeiros têm o mesmo objetivo, avaliar a condição da próstata, sendo que o PSA é a opção não invasiva, feito a partir da análise de uma amostra de sangue. Já o espermograma avalia a composição do sêmen, geralmente indicado para investigar infertilidade.

“O PSA Total e Livre é indicado pela Sociedade Brasileira de Urologia para homens acima de 40 anos com histórico de câncer na família e acima dos 45 para todos outros. Já o espermograma não tem periodicidade. Depende de indicação médica”, afirma Luciana Figueira.

(*) Com informações da assessoria

LEIA MAIS: