Em plena cheia em Pauini, prefeito quer gastar quase R$ 800 mil com aeronave e hotel - Amazonas1
22 de abril de 2021
Site auditado pelo
Manaus
24oC  29oC
Buscar

Redes Sociais

[email protected]

Em plena cheia em Pauini, prefeito quer gastar quase R$ 800 mil com aeronave e hotel

Esse gasto ocorre no momento em que o município enfrenta o período de cheia dos rios Purus e Juruá, o que vem causando diversos danos à população

Em plena cheia em Pauini, prefeito quer gastar quase R$ 800 mil com aeronave e hotel
Foto: Reprodução/Facebook

O prefeito de Pauini, Renato Afonso (PSD), autorizou contratação, por quase R$ 800 mil, dos serviços de fretamento de aeronaves e hotelaria para o Executivo Municipal. Com dispensa de licitação, os contratos foram publicados no Diário Oficial dos Municípios (DOM), na última quinta-feira (25), e assinados pelo vice-prefeito Paulo dos Santos (PL).

Esse gasto ocorre no momento em que o município enfrenta o período de cheia dos rios Purus e Juruá, o que vem causando diversos danos para a população. Além disso, os casos de covid-19 continuam subindo na cidade.

Leia mais: Cheia leva municípios do Amazonas a decretar estado de emergência

As dispensas de licitação, quando a compra pública foi realizada sem o procedimento licitatório, inclusive, são justificadas pela situação de emergência decretada pelo prefeito em decorrência da cheia dos rios.

Segundo consta no documento, a contratação de fretamento de aeronave é a mais cara: R$ 735 mil para aeronave monomotor, com capacidade de seis passageiros e um tripulante, que deverá operar no município pelo período de 180 dias.

A empresa contratada é a agência de viagens G. P. GOMES, com CNPJ nº 14.606.171/0001-73, e sede localizada no estado do Acre. De acordo com o site da Receita Federal, o estabelecimento tem faturamento de R$ 100 mil, mas não há informações sobre quem são os donos.

Já para o serviço de hotelaria, o prefeito deverá pagar R$ 63 mil à empresa MANOEL FERREIRA DA SILVA, inscrita no CNPJ nº 06.176.485/0001-55, com nome fantasia ‘Comercial Tatiane’. Localizada em Pauini, a empresa possui capital social de R$ 250 mil.

Chama atenção que a principal atividade desenvolvida pela firma é, na verdade, o comércio de materiais de construção. O serviço de hotelaria vem aparecer, porém, entre uma das sete atividades secundárias da empresa.

Está no contrato, que o estabelecimento deve fornecer “hospedagem em apartamento individual, com suíte, ar-condicionado, frigobar, TV, acompanhado de desjejum (café da manhã)”, tudo isso pelo período de 180 dias.

O documento publicado no DOM informa que ambos os serviços são para “atender a demanda das secretarias municipais, que dependem desse expediente para manter suas atividades essenciais e garantir políticas públicas de Assistência Social, Educação, Geração de Emprego e Renda, Segurança Pública e Saúde, especialmente nesse período que enfrentamos a pandemia do vírus COVID19”.

Sem resposta

A reportagem do Portal AM1 procurou a Prefeitura de Pauini, por meio dos e-mails [email protected] e [email protected], para entender a finalidade dessas contratações e por que razões houve a dispensa de licitação. Porém, não houve retorno até a publicação da matéria.

COMENTÁRIOS

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do portal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio ou poste spam.

Cadastre-se em nosso newsletter

E fique sempre informado com as últimas notícias

[email-subscribers-form id="1"]