Manaus, 12 de junho de 2024
×
Manaus, 12 de junho de 2024

Cidades

‘Glaucoma é o principal causador de cegueira irreversível’, alerta especialista

Entenda mais sobre a doença, que atinge 2,5 milhões de pessoas com mais de 40 anos no Brasil, e veja as recomendações para o diagnóstico e tratamento.

‘Glaucoma é o principal causador de cegueira irreversível’, alerta especialista

Foto: Antonio Mendes - Portal Amazonas1

Nesta sexta-feira (26), data do Dia Nacional de Combate ao Glaucoma, o Portal AM1 mostra uma entrevista com o oftalmologista Dr. Neuzimar Pinheiro, para esclarecer algumas dúvidas sobre a doença. O glaucoma atinge até 2,5 milhões de pessoas com mais de 40 anos no Brasil, segundo dados da Sociedade Brasileira do Glaucoma (SBG).

“O glaucoma é o principal causador da cegueira irreversível. Nós temos a catarata, que também promove a cegueira. Ela é a diminuição da transparência da lente intraocular, mas essa cegueira e reversível cirurgicamente, o que infelizmente não acontece no glaucoma”, disse o especialista.

Oftalmologista Dr. Neuzimar Pinheiro (Foto: Antonio Mendes- Portal AM1)

O glaucoma é uma doença crônica que atinge o nervo óptico, que é a estrutura responsável por conectar o que o olho enxerga com o cérebro para formar a visão.

A pressão intraocular, suficientemente elevada, lesiona o nervo óptico progressivamente e, infelizmente, não é possível recuperar as partes do nervo que foram lesadas. Assim, o glaucoma não tratado corretamente pode levar à perda permanente da visão. O processo é lento e pode progredir durante anos, até que surjam os primeiros sintomas.

Exame para a identificação da doença (Foto: Antonio Mendes- Portal AM1)

Ainda conforme o oftalmologista, a maioria dos casos ocorre por que as pessoas já nascem geneticamente predispostas para ter a doença, e não se trata de algo que a pessoa tenha, ou não, feito para ter o glaucoma.

Tipos de Glaucoma

Existem outros tipos que são chamadas de secundários, que podem ocorrer devido a traumas oculares sofridos ou relacionados a doenças como diabete, artrite reumatoide ou o uso excessivo de corticoides.

Entre os tipos, o mais comum é o glaucoma primário, que sempre surge durante o processo de envelhecimento do corpo humano, ou seja, a partir dos 40 anos de idade.

Fatores de risco

Entre os fatores de risco está o histórico da doença na família, mas há, também, outros fatores como: etnia africana (para glaucoma de ângulo aberto) ou asiática (glaucoma de ângulo fechado), idade acima de 40 anos e presença de miopia em graus altos. É muito importante que toda pessoa que faz parte do grupo de risco realize o acompanhamento médico oftalmológico.

Sintomas

Conforme o Dr. Neuzimar Pinheiro, geralmente o glaucoma não possui sintomas, ou seja, é assintomático e pode não causar nenhum incómodo e continuar danificando o nervo óptico. Somente no estado mais avançado da doença é que o paciente começa a perceber dificuldades para enxergar.

Tratamento de glaucoma

O tratamento consegue manter a visão do paciente, mas os danos ao nervo não podem ser revertidos. Por isso, identificar a doença ainda nos estágios iniciais é muito importante.

tratamento do glaucoma, comprovadamente eficaz, consiste na redução dos níveis de pressão intraocular, que pode ser obtido por meio de colírios combinados e passados pelo médico. O glaucoma é uma doença crônica que, infelizmente, não tem cura, mas há controle.

Há, também, a opção de tratamento a laser – que é um procedimento que pode reduzir a pressão intraocular por algum tempo e com raras complicações; ou também existem cirurgias para reduzir a pressão intraocular e controlar a doença.

Assista à reportagem:

LEIA MAIS: