Manaus, 25 de maio de 2024
×
Manaus, 25 de maio de 2024

Cenário

Manaus costuma eleger em 2⁰ turno o candidato mais votado no 1⁰ turno

As eleições refletem não apenas as preferências políticas dos eleitores de Manaus, mas também a dinâmica em constante mudança do cenário político da cidade.

Manaus costuma eleger em 2⁰ turno o candidato mais votado no 1⁰ turno

(Fotos: Reprodução - facebook/Dheyzo Lemos-Semcom/Pedro França/Senado Federal/PSB)

Manaus (AM) – As eleições municipais são momentos cruciais na democracia brasileira e, em Manaus, não é diferente, já que a cidade, nos últimos 16 anos, testemunhou várias eleições para prefeito – cada uma trazendo sua própria dinâmica e desfecho.

Uma análise do Portal AM1 (das eleições de 2004 até as de 2020) constatou que nem sempre o candidato mais votado no primeiro turno é o vencedor no segundo, mas na política, tudo pode mudar e trazer reviravoltas marcantes.

2004: Serafim Corrêa e Amazonino Mendes

(Fotos: Reprodução – Facebook/PSB)

Nestas eleições municipais, Serafim Corrêa (PSB) disputava a cadeira de prefeito do então gestor municipal Alfredo Nascimento, que já ocupava o cargo majoritário há oito anos.

No primeiro turno, Amazonino Mendes (PFL) foi o mais votado com 326.709 votos, porém, em uma reviravolta histórica, perdeu no segundo turno para Serafim Corrêa (PSB), que alcançou 386.767 votos dos manauaras, o que representava 51,68% dos votos válidos. Amazonino conseguiu 361.580 votos – uma diferença mínima de pouco mais de 25 mil votos entre eles.

2008: Serafim Corrêa e Amazonino Mendes se enfrentam novamente

(Foto: Reprodução/Redes sociais- @euserafimcorrea)

Em 2008, em busca da reeleição, o prefeito Serafim Corrêa (PSB) não obteve o mesmo êxito como no pleito anterior. Assim como em 2004, Amazonino Mendes (PTB) também esteve à sua frente com 402.717 votos, enquanto Serafim alcançou 200.423 votos.

Desta vez, foi Amazonino quem derrotou Serafim no segundo turno por 495.460 a 371.845 dos votos válidos. A diferença entre o número de votos daquelas eleições foi de 123.615 votos.

Vale destacar, também, que as Eleições de 2008 trouxeram um desfecho nada glorioso a Amazonino Mendes, que foi cassado, julgado por crimes de captação ilícita de sufrágio por conta da distribuição aleatória de vale — combustível e distribuição de material de propaganda eleitoral.

Ele conseguiu, na Justiça do Amazonas, o direito de posse a prefeito de Manaus.

2012: Arthur Neto assume a prefeitura

(Fotos: Pedro França – Senado Federal)

Em 2012, Amazonino não disputou a reeleição, dando espaço para que houvesse renovação na Prefeitura de Manaus. Dessa forma, os dois candidatos que se destacaram no primeiro turno foram Arthur Neto (PSDB), que garantiu 385.855 votos; e Vanessa Grazziotin (PCdoB), que obteve 189.861 votos no primeiro turno.

Arthur Neto liderou as eleições desde o primeiro turno, sem a necessidade de reviravolta, já que Vanessa Grazziotin ficou em segundo lugar com uma diferença significativa de votos. Arthur conseguiu 603.483 votos, enquanto a candidata do PCdoB recebeu apenas 311.607 votos.

2016: Arthur Neto é reeleito

(Fotos: Divulgação /PMM/ PL-AM)

No cenário das eleições de 2016, aos 70 anos, o então chefe do Executivo municipal enfrentou Marcelo Ramos (PR) nas urnas. Os dois protagonizaram uma corrida acirrada entre dois poderosos grupos políticos do Amazonas.

De um lado, estava o candidato Arthur Virgílio Neto, destacado nome do PSDB no estado, que contava com o apoio estratégico do ex-governador Eduardo Braga (PMDB), e cujo vice na chapa, Marcos Rotta, foi indicado por Braga.

Do outro lado, estava Ramos, representante do grupo político liderado pelo ex-prefeito Alfredo Nascimento (PR), além do ex-governador Omar Aziz (PSD) e do deputado federal Pauderney Avelino (DEM).

Arthur Virgílio saiu vencedor da disputa tanto no primeiro quanto no segundo turno. No primeiro, ele alcançou 364.487 votos, enquanto Marcelo Ramos 257.698 votos. Já no segundo turno, Arthur atropelou Marcelo Ramos com 581.777 votos. O candidato do PR conseguiu 457.809 votos.

Neste ano, Arthur pendurou as chuteiras, enquanto Marcelo Ramos tenta, outra vez, a cadeira majoritária.

2020: em reviravolta, David Almeida vence Amazonino Mendes

(Fotos: Reprodução – Facebook/Dheyzo Lemos-Semcom)

As eleições refletem não apenas as preferências políticas dos eleitores de Manaus, mas também a dinâmica em constante mudança do cenário político da cidade. É evidente que reviravoltas eleitorais podem ocorrer, como observado na eleição de 2020, quando David Almeida (Avante) derrotou Amazonino Mendes no segundo turno.

No primeiro turno, o “Negão”, como ficou conhecido popularmente Amazonino Mendes, liderou a disputa eleitoral com 234.088 votos, ou seja, representava 24,31% dos votos válidos. David Almeida, por sua vez, ocupava o segundo lugar na corrida com 218.929 votos.

Mas, para a surpresa de todos, no segundo turno David derrotou Amazonino com 466.970 votos, que recebeu 443.747 votos. Assim como em 2004, a diferença entre os candidatos foi mínima. Quando Amazonino enfrentou Serafim, foram pouco mais de 25 mil votos, já contra Almeida, a diferença foi de 23.223.

Outro fato semelhante com as eleições de 2004 e 2020 é referente à liderança de Amazonino no primeiro turno, mas no segundo, acabou perdendo para o adversário.

 

LEIA MAIS: