US - R$ 4,13

×

Especialistas em previdência orientam servidores municipais

Manaus sedia a 66ª Reunião Ordinária do Conaprev que visa esclarecer dúvidas quanto a Reforma da Previdência

Encontro acontece no Quality Hotel e dura até o meio dia de sexta-feira (Carlos Bolívar/Amazonas1)

Acontece nesta quinta, 22, e sexta-feira, 23, no Quality hotel, na Avenida Mário Ypiranga, zona Centro-Sul de Manaus, a 66° Reunião Ordinária do Conselho Nacional dos Dirigentes de Regimes Próprios de Previdência Social (Conaprev).

O evento que faz com que a capital amazonense se torne a sede das discussões da área previdenciária, dura todo o dia desta quinta-feira e encerra-se ao meio-dia de amanhã. Na tarde de sexta, a Comissão Permanente de Acompanhamento de Ações Judiciais Relevantes (Copajure), integrante do Conaprev, fecha o cronograma de trabalho com uma reunião técnica que será realizada na própria sede da Manaus Previdência.

A diretora-presidente do Manaus Previdência, Daniela Benayon, destacou as principais pautas que serão discutidas durante a reunião. “O encontro tem como pauta principal a Reforma da Previdência, a questão do ingresso ou não dos estados e municípios na reforma, e também, de tudo o que nós teremos que implementar em caso positivo ou negativo do ingresso”, disse.

Daniela Benayon, diretora-presidente do Manaus Previdência (Carlos Bolívar/Amazonas1)

A reunião acontece, ordinariamente, três vezes por ano e a diretoria do Conaprev escolheu Manaus para sediar o fórum que é formado por gestores de regimes próprios de previdência. “A reunião é bem expositiva e de esclarecimento, visto que é formado por gestores de regimes próprios de previdência, no sentido de esclarecer as dúvidas quanto a aplicação da reforma após a aprovação, e também de prazos. É válido informar que o que está fora para estados e municípios são as regras de aposentadoria, mas as demais decisões já serão aplicados automaticamente”, esclarece Daniela Benayon.

Afinal, a Reforma da Previdência trará benefício a todos?

Está claro que ninguém quer trabalhar por mais anos, diz a diretora-presidente do Manaus Previdência. Para ela, no entanto, se a Reforma não for aprovada agora, chegará um momento em que a previdência entrará em colapso e afetará na hora de pagar os benefícios.

“Se nós não tivermos uma reforma agora, considerando que a população envelhece cada vez mais a cada ano, e que nascem, também, cada vez menos pessoas, chegará um momento em que a previdência entrará em colapso. E as pessoas que hoje trabalham e contribuem, não serão mais suficientes para cobrir os benefícios que já estão concedidos”, explica Benayon

Benayon finaliza dizendo que, ou faz a reforma, ou vai chegar um momento em que a previdência não terá os recursos financeiros suficientes para pagar os benefícios, considerando a queda na taxa de natalidade e o aumento da expectativa de vida.

Faça um comentário