×

Jovem que denunciou estupro de desembargador faz desabafo


A ex-nora do desembargador aposentado do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM) Rafael Romano, a advogada Luciana Pires, publicou na manhã deste sábado, 17, em seu perfil pessoal no facebook, um vídeo onde a filha anuncia sentir vergonha do próprio pai, o advogado Rafael Romano Júnior. No último mês, Luciana denunciou o ex-sogro de abusar sexualmente da neta.

Maria afirma que o pai é um mentiroso.

Neta do desembargador aposentado, Rafael Romano, diz sentir vergonha do próprio pai. A menina acusa o avô de abusá-la sexualmente. (Foto: Reprodução/Facebook)

No vídeo, Maria diz sentir vergonha de ser filha de Rafael Romano Júnior. “Pai, o único mentiroso aqui é você, que olhou nos meus olhos e falou que iria lutar comigo, hoje eu tenho vergonha de ser tua filha”, afirma a menor.

Logo após Luciana denunciar os abusos, Rafael Romano emitiu uma nota, dizendo que repudiava o ato da ex-mulher que acusou o pai dele de abusar sexualmente da filha do casal, uma adolescente de 15 anos. O advogado declarou que Luciana expôs a filha e explorou um momento de fragilidade emocional em meio ao processo de separação conturbado que vem se desenrolando nos últimos anos. Segundo Rafael, a advogada estaria utilizando a imagem da filha como objeto de vingança pessoal.

Entenda o caso

Usando as redes sociais para realizar um desabafo, Luciana Pires denunciou no dia 21 de fevereiro ao Ministério Público do Estado do Amazonas (MP-AM), o desembargador aposentado Rafael de Araújo Romano, de abusar sexualmente a própria neta, que atualmente tem 15 anos. De acordo com o que a vítima relatou para a mãe, o avô paterno realizava o abuso desde os 7 anos dela.

Segundo a advogada, a filha disse a ela todos os detalhes de como o avô a abusava. Conforme a menina, ela começou a entender que, o que o avô fazia era errado. Nesta ocasião, a menina relatou para a mãe que estava sentada numa cadeira de balanço quando o desembargador aposentado começou a massagear os pés dela e logo iniciou carícias nas pernas até chegar as partes íntimas da menina.

Neste mesmo dia, a menina também relatou para a mãe, que a pedido do avô dormiu com ele na mesma cama, onde as carícias continuaram.

Manifestações

No fim de fevereiro, manifestantes protestaram, pedindo justiça contra o desembargador. Na ocasião, foram entregues adesivos de carros e camisas, em um movimento que foi chamado de ‘Primeiro Grito de Justiça pela Maria’.

No vídeo divulgado pela advogada no facebook, Maria também convida todos a participarem de uma nova manifestação no próximo dia 19 (segunda-feira), em frente ao Fórum Henoch Reis.

Assista o vídeo na íntegra:

#justicapelamaria

Posted by Luciana Pires on Saturday, March 17, 2018