MENU
Logo Amazonas Um

Copyright © Portal Amazonas1. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita.

MP investiga salários turbinados dos políticos de Humaitá

Lei que aumentou salários foi aprovada na gestão passada e passaria a valer a partir de 2021 a 2024; gestão atual chegou a suspender o aumento, mas de forma parcial
Juliana Siqueira – Portal AM1
• Publicado em 21 de setembro de 2021 – 14:14
Aumento de salário do Executivo e Legislativo em Humaitá vira alvo de investigação
Foto: Dedei Lobo, prefeito de Humaitá

Manaus, AM – O Ministério Público do Amazonas (MP-AM) abriu investigação, nesta semana, para apurar se o ex-prefeito de Humaitá, Herivâneo Seixas (PL) e os vereadores da legislatura 2017-2020 cometeram ato de improbidade administrativa ao aprovarem o aumento do salário para os respectivos cargos, incluindo o de vice-prefeito e dos secretários municipais.

As leis nº 858 e nº 859 foram aprovadas no fim do mandato, em dezembro de 2020, pelo então presidente da Casa Legislativa, vereador Luiz Alexandre Rogério de Oliveira (Republicanos), passando a valer a partir de 2021 até 2024. Pelo texto, o prefeito passaria a receber R$ 23 mil; vice-prefeito, R$ 18 mil; os secretários, R$ 7 mil; e os vereadores, R$ 9,1 mil.

Herivâneo Seixas, o então vice Sidney Temo (PP), não foram eleitos no pleito de 2020. Mas o vereador Luiz Alexandre Rogério de Oliveira se candidatou a vice-prefeito na chapa de Dedei Lobo (PSC), (foto da matéria), ambos levaram a melhor e estão atualmente no comando da cidade e usufruindo do salário turbinado.

O aumento, portanto, refletiria nos salários da atual gestão. A reportagem do Portal Amazonas1 procurou a Prefeitura de Humaitá a fim de saber se houve reajuste no vencimento dos gestores e secretário, conforme a lei, ou não; todavia, houve retorno.

Leia mais: MP aciona Justiça contra reajuste de salários do Executivo e Legislativo de Humaitá

Aumento ilegal

De acordo com o promotor de Justiça, Rodrigo Nicoletti, que assina a portaria, a ampliação do salário ocorreu de forma ilegal e pode configurar ato de improbidade administrativa. “Os fatos apurados no inquérito civil n. 040.2020.000352, no sentido de que, em tese, os Vereadores e Prefeito Municipal de Humaitá, em dezembro de 2020, aprovaram aumento de seus respectivos subsídios de forma claramente ilegal”, diz o documento.

Ação civil

Na semana passada, o MP acionou a Justiça do Amazonas, com pedido de tutela de urgência, solicitando a suspensão dos efeitos das leis e a nulidades delas.  

“As leis foram aprovadas a toque de caixa, com rapidez impressionante e sem qualquer estimativa de preço, demonstração da origem dos recursos para custeio ou comprovação de não afetação das metas de resultados fiscais”, disse Nicoletti.

Leia mais: MP aciona Justiça contra reajuste de salários do Executivo e Legislativo de Humaitá

Na ação, o promotor argumenta que a os subsídios do prefeito, vice-prefeito, secretários municipais e dos vereadores devem ser fixados pela Câmara Municipal no último ano da legislatura, até 30 dias antes das eleições municipais. “Em 2020, as eleições ocorreram em 15 e 29 de novembro. Logo, somente seriam regulares se tivessem sido votadas até 15 de outubro de 2020”, apontou.

Recomendação

Prefeito e presidente da Câmara Municipal chegaram a ser notificados, por meio de recomendação do MP, para suspensão do ajuste nos vencimentos. Mas, segundo o órgão, a medida foi acatada de forma parcial, com suspensão das despesas somente até 2022.

Medidas

De acordo com o inquérito civil, entre as medidas a serem tomada pelo MP, está a notificação ao secretário Municipal de Gabinete, solicitando o encaminhamento do procedimento interno do qual viabilizou a sanção das Leis Municipais, pelo prazo de 15 dias.

O presidente da Casa Legislativa também será notificado e deverá enviar a ata da sessão do dia 07/12/2020 ou documento compatível e demonstrar como vereadores votaram (pela aprovação ou não) das Leis Municipais nº 858 e 859 de 2020.

Sem resposta

O Portal Amazonas1 procurou a Prefeitura de Humaitá para saber saber se o órgão já foi notificado ou não pelo MP-AM e quais as providências que deverão ser tomadas a respeito do caso. A equipe de reportagem, entretanto, não obteve retorno.

Acompanhe em tempo real por meio das nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter.

Publicidade

Publicidade

MATÉRIAS RELACIONADAS

Copy link
Powered by Social Snap