Municípios têm 48h para fornecer dados de vacinações sobre covid-19 ao TCE - Amazonas1
16 de maio de 2021
Site auditado pelo
Manaus
24oC  29oC
Buscar

Redes Sociais

[email protected]

Municípios têm 48h para fornecer dados de vacinações sobre covid-19 ao TCE

As solicitações de informações são parte de um projeto criado pelo Conselho Nacional dos Presidentes dos Tribunais de Contas do Brasil (CNPTC)

Municípios têm 48h para fornecer dados de vacinações sobre covid-19 ao TCE
Foto: Márcio Silva

MANAUS, AM – Faltando menos de 48 horas para o fim do prazo, 34 dos 62 municípios do Amazonas ainda não responderam aos questionários disponibilizados pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE-AM) referentes às campanhas de vacinação executadas em cada município. A ação faz parte de uma iniciativa nacional dos Tribunais de Contas para auxiliar os gestores do país na aplicação de doses em cada cidade.

Em suma, os gestores que não responderem até o fim do prazo poderão ser penalizados em representações pela Corte de Contas, sob a possibilidade de serem multados por falta de transparência.

Leia mais: Mais 500 profissionais de saúde serão imunizados em Manaus

A principio dois questionários foram enviados pela Corte de Contas aos prefeitos dos municípios do Amazonas. Para isso foi dado o prazo máximo de 10 dias, que se encerra na próxima quinta-feira (22). Até o momento, apenas 45% dos municípios responderam aos questionários por completo, dentre eles a Prefeitura de Manaus.

“A intenção da Corte de Contas do Amazonas, aderindo ao projeto criado nacionalmente, é contribuir com os municípios para melhorar as ações envolvidas nos planos de vacinação. Sabemos que cada município possui sua peculiaridade, por isso buscamos informações de todos eles”, disse o presidente do TCE-AM, conselheiro Mario de Mello.

Além disso, o chefe do Departamento de Auditoria em Saúde (Deas), Rodrigo Valadão, afirmou que o objetivo do TCE-AM é entender o planejamento de operação das campanhas de vacinação, bem como das adaptações sofridas pelo número abaixo do esperado de doses.

“Sabemos que a campanha de vacinação está sofrendo muitos impactos pela falta de vacina, então a dinâmica deve ser acompanhada de um planejamento para que possa atender, nesse momento, um grupo prioritário, mas que também se estenda aos demais grupos”, frisou o chefe de Deas, Rodrigo Valadão.

Planejamento nacional

As solicitações de informações são parte de um projeto criado pelo Conselho Nacional dos Presidentes dos Tribunais de Contas do Brasil (CNPTC), que planeja reunir dados a nível nacional para otimizar os planos de imunização no país. Os dados farão parte de um site específico sobre o tema.

Por meio deste hotsite, o CNPTC fará uma análise das maiores dificuldades apontadas pelos gestores para viabilizar as possíveis contribuições que podem ser feitas pelos Tribunais aos municípios do país.
*Com informações da assessoria

COMENTÁRIOS

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do portal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio ou poste spam.

Cadastre-se em nosso newsletter

E fique sempre informado com as últimas notícias

[email-subscribers-form id="1"]