MENU
Logo Amazonas Um

Copyright © Portal Amazonas1. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita.

No Brasil, Bolsa de Valores cai com incerteza sobre o destino da política fiscal

O real teve o pior desempenho global na segunda-feira, quando o dólar fechou em R$ 5,7258
• Publicado em 13 de abril de 2021 – 12:30
Foto: Alessandro Shinoda/Folhapress

SÃO PAULO, SP – A Bolsa de Valores brasileira caía 0,35% perto das 11h25, aos 118.385 pontos, com os investidores ainda atentos ao desenrolar do Orçamento. No exterior, apenas Dow Jones tinha perdas de 0,33%. S&P e Nasdaq avançavam 0,11% e 0,65%, respectivamente.

O dólar, por sua vez, mostrava sessão volátil. A moeda oscilava entre altas e baixas já nas primeiras horas da manhã. Perto das 11h27, subia 0,08%, a R$ 5,7300.

A volatilidade vinha em reação a dados de inflação nos EUA divulgados nesta terça-feira (13) e também diante da persistente incerteza sobre o rumo da política fiscal doméstica.

Apesar da influência do movimento externo, analistas reiteram que a deterioração do cenário fiscal doméstico é o principal fator a manter o real depreciado.

O real teve o pior desempenho global na segunda-feira, quando o dólar fechou em alta de 0,90%, a R$ 5,7258, após notícias de que Paulo Guedes e o Ministério da Economia, em meio a pressões do Congresso sobre o Orçamento, estariam estudando a criação de uma PEC que abrigue gastos extraordinários, como medidas de apoio a emprego e recursos da Saúde, deixando essas despesas fora do teto de gastos.

Operadores têm repetido que, com tantos riscos em volta, o mercado tem evitado elevar posições, o que reduz a liquidez e deixa os negócios mais suscetíveis a vaivém.

A incerteza sobre a política monetária tampouco tem ajudado o câmbio. Quase metade dos gestores na América Latina consultados pelo Bank of America calcula que uma Selic entre 5,00% e 6,75% ao fim do ano conseguiria evitar depreciação adicional do real.

O juro nominal está em 2,75%, e o mercado projeta taxa de 5,25% no término de 2021. A sondagem do Bofa mostrou ainda que 75% dos investidores consultados esperam que o dólar finalize o ano abaixo de R$ 5,60.

 

(*) Com informações Folhapress

Publicidade

Publicidade

MATÉRIAS RELACIONADAS

Copy link
Powered by Social Snap