No Havaí, pesquisadores registram fenômenos raros acontecendo no céu - Amazonas1
22 de abril de 2021
Site auditado pelo
Manaus
24oC  29oC
Buscar

Redes Sociais

[email protected]

No Havaí, pesquisadores registram fenômenos raros acontecendo no céu

“Parece tão sobrenatural que parece que deve ser um efeito especial”, disse o NOIRLab em um comunicado

No Havaí, pesquisadores registram fenômenos raros acontecendo no céu
(Foto: International Gemini Observatory/NOIRLab/NSF/AURA/A. Smith)

A partir do telescópio Gemini North, em Mauna Kea, pesquisadores registraram dois fenômenos raros acontecendo no céu do Havaí. O Laboratório Nacional de Pesquisa em Astronomia com Infravermelho Óptico (NOIRLab) divulgou a foto na quarta-feira.

“Parece tão sobrenatural que parece que deve ser um efeito especial”, disse o NOIRLab em um comunicado.

O que as câmeras registraram foram sprites vermelhos e jatos azuis. Os flashes duram apenas décimos de segundo e isso torna a tarefa de capturá-los muito difícil.

De acordo com Peter Michaud, o gerente de educação e engajamento do NOIRLab, cientistas usam as câmeras do telescópio para rastrear remotamente o mau tempo se forma perto do observatório. Elas tiram uma foto do céu a cada 30 segundos.

“Nós vimos alguns outros exemplos de fenômenos semelhantes, mas esse foi o melhor exemplo de um relâmpago de sprite na atmosfera superior”, disse ele ao Insider.

Vermelho, branco e azul

Relâmpagos normais são diferentes de sprites e jatos em vários aspectos importantes. Enquanto relâmpagos normais disparam entre o ar eletricamente carregado, as nuvens e o solo durante as tempestades, os sprites e os jatos começam em locais diferentes no céu e se movem em direção ao espaço. Seus matizes distintos também os diferenciam.

Sprites vermelhos são rajadas ultrarrápidas de eletricidade que estalam pelas regiões superiores da atmosfera – entre 37 e 80 km (23 e 49 milhas) no céu – e se movem em direção ao espaço. Alguns sprites têm a forma de água-viva, enquanto outros, como o da imagem do Observatório Gemini, são colunas verticais de luz vermelha com gavinhas serpenteando para baixo. Estes são chamados de sprites de cenoura.

Davis Sentman, que trabalhava como professor de física na University of Alaska Fairbanks, propôs o nome “sprite” para o fenômeno do raio vermelho. Ele disse que o termo era adequado para descrever sua aparência.

Os jatos azuis, por sua vez, nascem mais perto da Terra do que os sprites vermelhos. Essas descargas elétricas em forma de cone também são mais brilhantes do que os sprites e explodem do topo das nuvens.

 

*Com informções do Metrópoles/Socientifica

COMENTÁRIOS

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do portal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio ou poste spam.

Cadastre-se em nosso newsletter

E fique sempre informado com as últimas notícias

[email-subscribers-form id="1"]