Dois homens são procurados para depor sobre morte da adolescente Lenita

Denúncias, sugestão de matérias e outros assuntos

7 de agosto de 2020
Site auditado pelo
Manaus
23oC  33oC
Buscar

Redes Sociais

redacao@amazonas1.com.br

Dois homens são procurados para depor sobre morte da adolescente Lenita

As investigações para desvendar a morte de Lenita Silva da Silva, 14, ganharam novas etapas na DEHS e crime já está praticamente elucidado

Dois homens são procurados para depor sobre morte da adolescente Lenita
Erick Anderson e Cleandro são procurados para depor sobre caso Lenita (Fotos: Josemar Antunes/AM1)

Há exatos 40 dias, Lenita Silva da Silva, 14, foi assassinada com cinco tiros no ramal da Praia Dourada, no bairro Tarumã, na zona Oeste de Manaus. A adolescente morava com avó materna no bairro Compensa, também na zona oeste.

As investigações para desvendar a morte da adolescente, ganharam novas etapas na Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

João Matheus declarou no interrogatório ser inocente (Foto: Josemar Antunes/AM1)

Isso porque, mais duas pessoas citadas no interrogatório de João Matheus Souza Sarmento, 19, que foi preso no dia 2 de junho deste ano por envolvimento no crime, deve de fato esclarecer o que aconteceu no dia 23 de maio de 2020.

Após ter sua imagem divulgada amplamente na imprensa, João Matheus compareceu acompanhado de uma advogada na especializada. Ele manteve a versão no interrogatório que Erick Anderson Muniz Castro, conhecido como “D R” ou “Derick Rafael”, e Cleandro Vasconcelos Viana, vulgo “Barba” pediram a ele que convidasse Lenita para uma festa.

Delegado Paulo Martins, titular da DEHS (Foto: Josemar Antunes/AM1)

De acordo com o delegado Paulo Martins, titular da DEHS, João Matheus entrou em contato com Lenita, que marcou ponto de encontro na casa de uma amiga no bairro Compensa, na zona Oeste. Durante o trajeto em um carro Gol, de cor vermelha, a jovem foi questionada por estar repassando informações para integrantes da facção criminosa Família do Norte (FDN).

“No caminho dessa suposta festa, houve uma discussão dentro do carro, que era conduzido por Barba. Lenita foi acusada de estar repassando informações para membros de outra facção. Por conta dessa suspeita, eles passaram agredi-la e depois decidiram executá-la. Nós pedimos o apoio da imprensa na divulgação das imagens desses dois homens citados nos procedimentos para que eles possam ajudar nos esclarecimentos sobre o homicídio, que está praticamente elucidado. Já temos a certeza quem praticou o homicídio e pedir a prisão dos verdadeiros autores”, disse o delegado Paulo Martins.

Lenita foi executada com seis tiros (Foto: Josemar Antunes/AM1/Reprodução)

Conforme os levantamentos da DEHS, Lenita planejava entregar “Igor”, um dos líderes do Comando Vermelho (CV), para ser morto por integrantes da FDN.

A adolescente chegou a fazer acusações contra alguns membros da organização nas redes sociais após a morte do amigo Samuel Nogueira Ferreira Filho, 22. O jovem foi executado com vários tiros dentro de uma pizzaria no beco Pantanal, no bairro Compensa, na madrugada de 4 de maio deste ano.

Segundo a polícia, Samuel estava no primeiro dia de trabalho após o estabelecimento ser invadido por seis homens armados. Além do amigo da adolescente, Júlio Rodrigues da Silva, 22, também morreu no local. Na mesma ação, outras três pessoas ficaram feridas.

Denúncia

A autoridade policial ressalta que qualquer informação sobre Erick Anderson e Cleandro pode ser repassada aos números (92) 99609-2425 da DEHS e 181 da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM). A identidade dos informantes será mantida em sigilo.

Amazonas1 TV

Publicado por Amazonas1

COMENTÁRIOS

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do portal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio ou poste spam.

Cadastre-se em nosso newsletter

E fique sempre informado com as últimas notícias

Loading