Estupro de criança por missionário foi 'imprevisível', diz igreja

Denúncias, sugestão de matérias e outros assuntos

29 de setembro de 2020
Site auditado pelo
Manaus
23oC  33oC
Buscar

Redes Sociais

[email protected]

Estupro de criança por missionário foi ‘imprevisível’, diz igreja

Igreja Adventista do Sétimo Dia diz que está prestando todo o apoio para a família da vítima e que será mais criteriosa com visitas.

Estupro de criança por missionário foi ‘imprevisível’, diz igreja
Missionário da Igreja Adventista do Sétimo Dia abusou sexualmente de criança dentro de uma unidade em Itanhaém (SP) — Foto: Reprodução

A menina de quatro anos que foi estuprada por um missionário peruano, de 31, dentro de uma igreja em Itanhaém, no litoral de São Paulo, está recebendo acompanhamento psicológico após o ocorrido. A Igreja Adventista do Sétimo Dia afirma que está prestando todo o apoio para a família e disse que a situação foi completamente ‘imprevisível’.

A criança foi abusada sexualmente na manhã de domingo, 9, quando estava com a mãe na igreja. Ela foi abordada pelo suspeito dentro de uma sala da unidade e obrigada a tocar em suas partes íntimas. A mãe da menina flagrou o ato e a Polícia Civil foi acionada. O estrangeiro foi preso em flagrante.

Segundo representantes da igreja, o missionário acusado de estupro participava de um projeto de voluntariado, que envolvia ações particulares e também da igreja, quando o crime ocorreu. Como era estrangeiro, ele estava abrigado na unidade de Itanhaém.

O missionário não costumava ficar sozinho dentro da igreja e, ainda, quando foi flagrado pela mãe da menina, haviam outras pessoas na unidade, explicaram os representantes. Segundo eles, a criança e a mãe estão recebendo todo o apoio psicológico necessário mas, apesar disso, a responsável está muito abalada.

(*) Com informações do G1 Santos

COMENTÁRIOS

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do portal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio ou poste spam.

Cadastre-se em nosso newsletter

E fique sempre informado com as últimas notícias

Loading