Reforma do governo está na ALE/AM e cinco secretários serão exonerados

US - R$ 4,19

×

Reforma do governo está na ALE/AM e cinco secretários serão exonerados

Mensagem do governo tramita na casa legislativa e aguarda parecer da Comissão de Constituição e Justiça. Governador Wilson Lima quer promover enxugamento da máquina

(Foto: Divulgação)

A fusão e extinção de cinco secretarias na reforma administrativa do Governo do Amazonas traz consigo não apenas uma revisão da estrutura da máquina pública, mas também mudanças no organograma do Estado.

Conforme apurado pela reportagem, com a criação da Secretaria de Estado da Cidadania e Inclusão Social, que vai fundir numa só as Secretarias de Estado de Justiça (Sejusc) e a de Estado da Pessoa com Deficiência (Seped), quem ficará à frente é a atual titular da Sejusc, Caroline Brás, enquanto Viviane Pereira, que hoje conduz a Seped, fica no cargo como secretária-executiva.

O mesmo deve acontecer com as outras pastas que passarão por mudanças na reforma administrativa que o governador Wilson Lima (PSC) quer aprovar junto à Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam). A mensagem de nº 118/19 já está na casa legislativa aguardando parecer da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

Empossado recentemente como gestor da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), Vicente Nogueira deve acumular a gestão da Secretaria de Estado da Juventude, Esporte e Lazer (Sejel), que passará a fazer parte da estrutura da Seduc. No entanto, o governo não divulgou qual vai ser o futuro do secretário de Esportes, Caio André Pinheiro.

Na junção da pasta de Planejamento (Seplancti) com a de Trabalho (Setrab), Jório de Albuquerque deve ser mantido na condução da nova pasta: a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia. O rumo de Neila Azrak é incerto. No primeiro semestre deste ano, ela esteve no centro de uma polêmica após usar dinheiro público para pagar despesas de viagem do marido, Jander Goes, em uma viagem oficial em que fez à Colômbia.

O secretário Carlos Henrique Lima, que hoje responde pelas pastas de Infraestrutura (Seinfra) e Região Metropolitana de Manaus (SRMM) deve se tornar um supersecretário ao passar a gerir, também, a pasta de Política Fundiária (SPF), que será anexada à Seinfra. Ricardo Luiz Monteiro, que conduz a SPF deve ser exonerado.

Marcos Apolo, da Secretaria de Estado da Cultura (SEC), deve ser mantido na mudança que o governo planeja para a pasta, que vai passar a se chamar Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa, incorporando ainda a Secretaria de Relações Federativas e Internacionais (Serfi), hoje Secretaria de Relações Institucionais (Serins), conduzida por Adriano Mendonça Ponte; e a Secretaria-Geral da Vice-Governadoria, em substituição à Secretaria Executiva da Vice-Governadoria.

Faça um comentário