Manaus, 24 de fevereiro de 2024
×
Manaus, 24 de fevereiro de 2024

Cenário

Quem são os possíveis nomes para vice-prefeito de Manaus nas eleições de 2024?

As articulações políticas ganham destaque, e alguns nomes já começam a ser especulados para compor as chapas como vice-prefeito.

Quem são os possíveis nomes para vice-prefeito de Manaus nas eleições de 2024?

(Foto: Divulgação/CMM e Secom)

Manaus (AM) – O ano mal começou e já está marcado pelas movimentações e articulações em torno da eleição municipal. À medida que o pleito se aproxima, é inevitável que as discussões e análises se voltem não apenas para o candidato a prefeito, mas também para o vice.

Neste período pré-eleitoral, as articulações políticas ganham destaque, e diversos nomes já começam a ser especulados para compor as chapas como vice-prefeito. As alianças estratégicas, costuras políticas e negociações nos bastidores estão em pleno andamento, uma vez que os partidos buscam formar equipes sólidas e representativas para conquistar o eleitorado.

Caio André, presidente da Câmara Municipal de Manaus (CMM) – (Foto: Divulgação/CMM)

Entre os nomes que circulam nos corredores políticos, estão o de Caio André (Podemos), presidente da Câmara Municipal de Manaus (CMM); a deputada Joana Darc (União Brasil); Marcellus Campêlo, que comanda a Unidade Gestora de Projetos Especiais (UGPE); Mike Ezequias, o Dr. Mike, e o advogado Sérgio Litaiff Filho, que está à frente da Secretaria de Governo (Segov).

Não é surpresa que um dos nomes mais esperados seja o que vai compor a chapa de David Almeida, que busca a reeleição. Isso porque a indicação deve ser feita pelo governador Wilson Lima, caso ele cumpra o acordo que tem com o prefeito de Manaus. Assim como David indicou o amigo de infância para vice de Wilson Lima na eleição de 2022, Tadeu de Souza (Avante), o governador deve indicar alguém de sua extrema confiança. Nesse cenário, aparecem Marcellus Campêlo, Dr. Mike e Sérgio Litaiff.

 

Marcellus Campêlo comanda a Unidade Gestora de Projetos Especiais (UGPE) – (Foto: Divulgação/Secom)

À frente da UGPE e do Conselho Deliberativo da Companhia de Saneamento do Amazonas (Cosama), Marcellus Campêlo ocupa cargo de destaque no governo de Wilson. Campêlo sempre esteve no campo de confiança de Lima, prova disso é que já comandou outras pastas importantes, como a Secretaria de Estado de Saúde (SES) e a Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Metropolitano (Sedurb), de onde saiu recentemente e o posto foi ocupado pelo deputado federal Fausto Júnior (União Brasil).

Entretanto, a mudança não deixou Marcellus Campêlo sem notoriedade no governo de Wilson Lima. Ele seguirá tocando grandes projetos do governo.

Já o Dr. Mike, além de compadre do governador, é conhecido por apoiar o líder do Executivo estadual desde os primeiros passos dele na política. Mike já ocupou o cargo de presidente da Agência Amazonense de Desenvolvimento Econômico e Social (AADES) e já disputou duas vezes a eleição para deputado estadual, em 2018 e 2022, e para vereador em 2020, mas não obteve êxito nos pleitos.

Sérgio Litaiff também é apontado como um homem de confiança de Wilson. Após 13 anos à frente da Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur), ele, atualmente, está no comando da Segov, ocupando o posto deixado por Luís Fabian Pereira Barbosa, que deixou a pasta e agora é conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE-AM).

A deputada Joana Darc aparece como uma opção para a chapa que deve ser encabeçada por Roberto Cidade. O nome dela é cotado por conta da expressiva votação que obteve na eleição de 2022. A parlamentar se tornou a mulher mais votada da história do Estado, com 87.182 votos. Por sua vez, Cidade foi o deputado mais votado do Amazonas, com 105.510 votos. Ou seja, uma união deles seria bem estratégica.

Deputada Joana Darc – (Foto: Divulgação/Aleam)

Outro nome que também circula como um possível vice é o de Caio André. Ele já expressou que pretende concorrer à reeleição, mas não descarta a possibilidade de ser candidato a vice-prefeito.

Caio André já teria sido “cortejado” por Amom e Cidade, inclusive,  até seria uma opção para David Almeida. O presidente da CMM afirmou ao Portal AM1, em novembro do ano passado, que “não fecha nenhuma porta”, mas frisou que pertence a um grupo político que é capitaneado pelo governador Wilson Lima e qualquer decisão passa por ele primeiramente.

O cientista político Helso Ribeiro explica que a escolha de um vice, muitas vezes, é estratégica, resultado de negociações internas e equilíbrios de poder, priorizando alianças e interesses partidários.

“É bom lembrar que o vice do Wilson Lima foi uma escolha pessoal do David Almeida, quase ninguém o conhecia. Então, quando o vice já participa da política e tem voto ele chega para agregar, porém, às vezes, o vice vem para unir força política, como foi o caso do Tadeu de Souza, selando uma aliança entre o governo e prefeitura”, disse.

No caso da escolha deste ano será algo bem estratégico também, afirma o cientista político, pois os planos futuros de David é ser o sucessor de Wilson Lima, em 2026.

“Se ele for reeleito e, em 2026, concorra e vença a eleição para o governo, David terá que deixar a prefeitura com 1 ano e meio do segundo mandato. Nesse cenário, o vice vai passar a governar a cidade durante 2 anos e meio pelo menos”, pontua o cientista político.

Sérgio Litaiff Filho está à frente da Secretaria de Governo (Segov) – (Foto: Divulgação)

Com isso, caso Wilson Lima, que deve disputar uma das duas vagas no Senado Federal, indicar o nome do vice de David, ele terá alguém de sua confiança no comando da Prefeitura de Manaus, em 2026. Sobre a influência do vice para o eleitor, Helso Ribeiro acrescenta que não interfere tanto, já que o eleitorado geralmente tem a figura do prefeito como um dos elementos mais decisivos. Entretanto, segundo ele, existem exceções.

Caso o vice seja um nome conhecido na política e que tenha sido eleito para algum cargo, ele pode ter um impacto significativo na eleição geral e contribuir para a vitória do candidato a prefeito.

“Um exemplo é a Joana Darc, que foi muito bem votada, é quase certo que grande parte desses votos que ela teve seja transferido para a chapa que ela estará, isso se ela for a candidata a vice, claro”, pontua.

Dr. Mike já disputou duas vezes a eleição para deputado estadual, em 2018 e 2022, e para vereador em 2020 – Foto: Divulgação

Qual o papel de um vice?

O vice desempenha um papel de seguro institucional. Em situações de incapacidade temporária ou permanente do prefeito, presidente ou governador, seja por motivos de saúde, impeachment ou outros, o vice assume automaticamente a liderança, garantindo a continuidade do governo. Essa transição suave é vital para evitar vazios de poder que poderiam resultar em instabilidade política e econômica.

LEIA MAIS: