MENU
Logo Amazonas Um

Copyright © Portal Amazonas1. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita.

Sem vacina, Bolsonaro pode ser barrado na Assembleia Geral da ONU

Assembleia Geral da ONU vai decidir nesta quinta-feira (16) se a vacinação das delegações será exigida para a participação no evento
Lucas Rodrigues – Portal AM1*
• Publicado em 15 de setembro de 2021 – 20:50
ONU
Foto: Marcos Corrêa/PR

BRASÍLIA, DF – O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) pode ser impedido de participar da próxima Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) por não estar vacinado contra a covid-19. O Debate Geral, que conta com os discursos de chefes de Estado do mundo inteiro, vai acontecer na próxima terça-feira (21).

Tradicionalmente, o Debate Geral da Assembleia é aberto com o discurso do presidente do Brasil, e Bolsonaro já confirmou presença em Nova York na terça-feira. No entanto, o presidente pode ser barrado devido às regras da cidade de Nova York em relação à vacinação contra covid: pessoas maiores de 12 anos devem apresentar comprovação de vacina contra a covid-19.

No entanto, caberá à ONU decidir se a regra vai se aplicar também aos chefes de Estado. A deliberação sobre a norma vai acontecer nesta quinta-feira (16), em Nova York. Desta vez, quem vai presidir a assembleia para a deliberação será o ministro de Negócios Estrangeiros das Ilhas Maldivas, Abdulla Shahid.

Leia mais: ONU: ‘alerta vermelho’ indica que energias fósseis estão destruindo o planeta

Shahid, inclusive, já disse que a comprovação é necessária. Na última terça-feira (14), o representante das Maldivas enviou uma carta a todos os representantes dos Estados-membros da ONU, afirmando apoiar que todos sejam obrigados a comprovar a imunização para participar da assembleia.

Já nesta quarta-feira, o porta-voz da Secretaria-Geral da ONU, Stéphane Dujarric, disse que haverá trabalho conjunto com o gabinete de Shahid sobre como implementar as decisões sobre a vacinação dos delegados. “Entendemos que, na Secretaria-Geral, todos os funcionários que atendem ao público devem ser vacinados. No entanto, como se trata de uma organização dirigida por Estados-membros, o Secretário-Geral [Antônio Guterres] não tem autoridade para forçar os delegados dos países de uma forma ou de outra”, afirmou Dujarric.

Cabe lembrar que, devido a uma alta de casos de covid-19 com a variante Delta, a cidade de Nova York está oferecendo vacinação gratuita a todos os estrangeiros que estejam indo à cidade para participar da Assembleia Geral da ONU. Em 2020, Bolsonaro participou da abertura do Debate Geral de forma remota, gravando o discurso que foi exibido na abertura.

(*) Com informações do G1/BBC News Brasil.

Acompanhe em tempo real por meio das nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter.

Publicidade

Publicidade

MATÉRIAS RELACIONADAS

Copy link
Powered by Social Snap