‘Só pega covid no réveillon?’, diz David Almeida sobre cancelar festa de fim de ano

A preocupação em relação às festas se dá devido à variante Ômicron, surgida inicialmente no continente africano, e que já circula no Brasil
Publicado em 03/12/2021 16:11
‘Só pega covid no réveillon?’, diz David Almeida sobre cancelar festa de fim de ano
Foto: Antônio Mendes / AM1

MANAUS, AM – O prefeito de Manaus, David Almeida (Avante), falou nesta sexta-feira (3) sobre o possível cancelamento das festas de fim de ano em Manaus. Na ocasião, ele comparou o Ano Novo com outros eventos ocorridos na capital, que também geraram aglomerações. “Só pega covid no Réveillon?”, questionou Almeida.

David proferiu tais palavras após inauguração do Centro Integrado Municipal de Educação (Cime) Lúcia Melo Ferreira Almeida, no bairro Novo Aleixo, zona Norte.

Até essa quinta-feira (2), 21 cidades brasileiras decidiram cancelar as comemorações de fim de ano em seus respectivos municípios. Em contrapartida, a capital amazonense mantém o evento que será realizado na Praia da Ponta Negra e terá o show do cantor Luan Santana.

A preocupação atual em relação às festas se dá devido a nova variante Ômicron surgida inicialmente no continente africano e que já registra cerca de cinco casos confirmados no Brasil.

Leia mais: Vacinas agem contra casos graves da Ômicron, apontam cientistas sul-africanos

O prefeito David Almeida, no entanto, comparou outros eventos realizados na cidade – antes da ameaça da variante Ômicron – com o evento de fim de ano. “Em novembro, nós tivemos 21 dias sem nenhum sepultamento. Se a lógica vale para o réveillon, eu acho que é hoje ou amanhã que vai ter um show para 50 mil pessoas, ninguém fala. Semana passada teve show para 20 mil pessoas. Quer dizer que só pega covid se for no réveillon?”, disse.

Ele também afirmou que as pessoas vacinadas estão se tornando reféns daquelas que protelam a vacinação contra a covid-19. Para o gestor, se houver um lockdown, deverá ser apenas para quem não se vacinou.

“Nós estamos tendo uma pandemia de pessoas não vacinadas. Nós temos cinco pessoas no Brasil que pegaram essa nova variante e essas pessoas não agravaram porque estão com a vacina. Se nós tivermos que fazer lockdown, temos que fazer um lockdown para as pessoas que não se vacinaram. Nós estamos sendo vítimas e reféns de quem não quer se vacinar”, disparou.

Leia mais: Puxadinho da prefeitura: CMM cancela sessão para homenagear secretário de David Almeida

David Almeida está postergando a decisão de cancelar ou não o Ano Novo. Mesmo com diversas cidades anunciando a suspensão das comemorações, o prefeito diz que ainda vai se reunir com a sua equipe e fazer o anúncio na terça-feira (7).  

“E as pessoas que estão hospitalizadas, um grande percentual delas são de que não se vacinaram. Portanto, eu reúno segunda-feira com a minha equipe de vigilância e com a saúde, e terça-feira a gente bate o martelo se vai haver ou não o réveillon”, disse.

Em Manaus, o prefeito divulgou, há cerca de uma semana, que o Ano Novo na capital custará R$ 10 milhões, sendo parte custeada pela iniciativa privada, e R$ 3,8 milhões será despesa dos cofres públicos. Desse total, só o show do Luan Santana custará R$ 600 mil.

Vale lembrar que no ano passado, a capital não teve festa de fim de ano. A comemoração se limitou a fogos de artifício na Praia da Ponta Negra. Mesmo assim, em janeiro, a cidade viveu o cenário de caos gerado pela segunda onda pandemia, na qual diversos pacientes de covid-19 morreram sem oxigênio nos hospitais públicos e privados.

Acompanhe em tempo real por meio das nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter.

Compartilhar:
Acompanhe em tempo real por meio das nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter.

+ NOTÍCIAS