Manaus, 22 de abril de 2024
×
Manaus, 22 de abril de 2024

Economia

Amazonas lidera na produção industrial no início do ano

O bom desempenho do Estado, veio na contramão do país, que teve queda de 1,6% na mesma comparação.

Amazonas lidera na produção industrial no início do ano

(Foto: Agência Brasil)

Manaus (AM) – A produção industrial do Amazonas em janeiro de 2024 teve variação de 16,7% na comparação com o mês anterior. Na comparação com o mesmo mês de 2023, o índice ficou em 11,7%. No acumulado em 12 meses o índice foi de 2,1%. A boa desempenho do Estado, veio na contramão do país, que teve queda de 1,6% na mesma comparação.

O resultado veio como aumento de produção em quase todas as atividades industriais pesquisadas mensalmente pelo Instituto de Geografia e Estatística (IBGE). Na comparação com janeiro de 2023, houve aumento em nove das onze atividades do Polo Industrial.

 A taxa de 16,7% no mês de janeiro, frente ao mês anterior, colocou o Amazonas no topo do ranking nacional. Os outros Estados com variação positiva em janeiro de 2024 foram: o Mato Grosso (4,4%), a Bahia (2,1%), o Paraná (1,9%), Minas Gerais (1,0%), São Paulo (0,8%), Rio de Janeiro (0,8%) e Pernambuco (0,5%).

As demais Unidades da Federação não tiveram variação ou apresentaram variação negativa, na comparação com dezembro de 2023. Os melhores desempenhos foram do Amazonas (16,7%), Mato Grosso (4,4%) e Bahia (2,1%). Os piores resultados ficaram com os Estados do Espírito Santo (-6,3%), Pará (-4,9%) e Rio Grande do Sul (-3,8%).

A produção industrial do país cresceu 3,6% na comparação com janeiro do ano passado, com avanço em 16 dos 18 locais analisados pela PIM Regional.

Fabricação de máquinas em equipamentos teve melhor desempenho no Amazonas

Por seções e atividades industriais, no confronto com o mesmo mês de 2023, o Amazonas teve melhor desempenho com a fabricação de máquinas e equipamentos (43,8%); seguida da fabricação de máquinas, aparelhos e materiais elétricos (28,4%); da fabricação de equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos (19,5%); das indústrias de transformação (12,3%); da fabricação de outros equipamentos de transporte, exceto veículos automotores (10,0%); da fabricação de produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos (7,1%); da fabricação de coque, de produtos derivados do petróleo e de biocombustíveis (5,3%); da fabricação de produtos de borracha e de material plástico (4,0%) e da fabricação de produtos diversos (1,1%). A indústria que ficou com variação negativa, em janeiro, no Estado, foi a de fabricação de produtos químicos (-8,0%).

(*)Com informações da assessoria

LEIA MAIS: