Concurso público do TJAM é validado, mas convocações podem ser lentas - Amazonas1
28 de novembro de 2020
Site auditado pelo
Manaus
24oC  29oC
Buscar

Redes Sociais

[email protected]

Concurso público do TJAM é validado, mas convocações podem ser lentas

O edital do concurso público do TJAM foi lançado no dia 3 de julho de 2019, prevendo a oferta de 160 vagas em nível médio e superior

Concurso público do TJAM é validado, mas convocações podem ser lentas
Reprodução TJAM

A homologação do resultado final do concurso público do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), realizado em 2019, para o provimento de vagas de assistente judiciário (Nível Médio) e analista judiciário (Nível Superior) no Poder Judiciário Estadual foi definida na manhã desta terça-feira (28), no Pleno do Tribunal de Justiça do Amazonas, seguindo entendimento do presidente da Corte Estadual, desembargador Domingos Jorge Chalub.

Leia mais em Domingos Chalub é eleito presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas

A homologação foi trazida à pauta menos de um mês após o desembargador Domingos Chalub assumir a presidência do TJAM e com este ato, que é o último que estava passivo de cumprimento no certame, a Justiça Estadual terá dois anos – prorrogáveis por mais dois – para convocar os candidatos aprovados dentro do número de vagas especificadas em edital.

No último dia 9 de julho, o desembargador Domingos Chalub e demais membros do corpo diretivo do TJAM haviam reunido-se, por videoconferência, com representantes aprovados no certame e na ocasião informou que a homologação do resultado do final era uma de suas prioridades neste início de gestão à frente da presidência da Corte.

Ao homologar o resultado do concurso público, o desembargador Domingos Chalub informou que os aprovados serão convocados, dentro das possibilidades e conveniências da Administração, e que o cronograma de convocações já está sendo elaborado. “Temos uma programação de convocações às quais serão realizadas dentro das possibilidades e conveniência da Administração e, principalmente, observando as possibilidades financeiras do Poder Judiciário Estadual. Todavia, adianto que nossa Escola de Aperfeiçoamento do Servidor (Eastjam) e nossas assessorias, já estão procedendo uma programação para treinamento a distância dos candidatos que ingressarão nos quadros da Justiça Estadual”, anunciou o desembargador Domingos Chalub.

Conforme informado na ocasião em que o edital do certame foi lançado – em julho de 2019 – a perspectiva do Tribunal de Justiça do Amazonas é convocar os candidatos aprovados dentro do números de vagas (um total de 160), com estes substituindo aqueles que ocupam cargos temporários no Poder Judiciário Estadual. “Essa continua sendo a nossa perspectiva e o que deve ser realizado dentro das conveniências da Administração e a partir da observância das condições financeiras desta”, concluiu o desembargador Domingos Chalub.

Concurso 

O edital do concurso público foi lançado no dia 3 de julho de 2019, prevendo a oferta de 160 vagas, sendo 140 para o cargo de Assistente Judiciário (Nível Médio) e 20 para o cargo de Analista Judiciário (Nível Superior).

Das 140 vagas para o cargo de Assistente Judiciário (Nível Médio), 127 foram designadas para atuação na Comarca de Manaus e 13 vagas para atuação no interior, sendo 7 vagas para a Sub-Região do Alto Solimões (abrangendo as Comarcas de Atalaia do Norte, Benjamin Constant, São Paulo de Olivença, Santo Antônio do Içá, Tabatinga e Amaturá) e 6 vagas para a Sub-Região do Baixo Amazonas (abrangendo as Comarcas de Parintins, Barreirinha, Boa Vista do Ramos, Nhamundá, São Sebastião do Uatumã e Urucará).

Para a atuação na capital, foram disponibilizadas 127 vagas para o cargo de Assistente Judiciário (Nível Médio) e 20 vagas para o cargo de Analista Judiciário (Nível Superior).

As 127 vagas de Assistente Judiciário (Nível Médio) serão designadas para as funções: Sem especialidade (100 vagas); Programador (10 vagas); Suporte ao Usuário de Informática (15 vagas) e Técnico de Segurança do Trabalho (2 vagas).

 

(*) Com informações do TJAM

COMENTÁRIOS

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do portal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio ou poste spam.

Cadastre-se em nosso newsletter

E fique sempre informado com as últimas notícias

Loading