MP diz que Givancir Oliveira premeditou crime em Iranduba
26 de novembro de 2020
Site auditado pelo
Manaus
24oC  29oC
Buscar

Redes Sociais

[email protected]

MP diz que Givancir Oliveira premeditou crime em Iranduba

Para o órgão, o sindicalista, premeditou o crime “por motivo torpe e pela impossibilidade de defesa das vítimas”.

MP diz que Givancir Oliveira premeditou crime em Iranduba
Presidente do Sindicato dos Rodoviários do AM- (Foto: Divulgação)

Quase dois mês após o crime, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários, Givancir de Oliveira Silva foi denunciado pela morte de Bruno de Freitas Guimarães e pela tentativa de homicídio de Dhelisson dos Santos Freitas, conhecido como ‘Thelcy’, no município de Iranduba. A denúncia foi apresentada pelo Ministério Público do Amazonas (MP-AM), nesta quinta-feira, 23. 

Para o órgão, o sindicalista premeditou o crime “por motivo torpe e pela impossibilidade de defesa das vítimas”. Ele foi denunciado por homicídio duplamente qualificado. 

“A forma como o denunciado agiu, acompanhado de mais duas pessoas, premeditando o crime, colidindo o carro contra a moto em que as vítimas trafegavam, jogando-as ao chão, com o objetivo claro de reduzir-lhes as chances de defesa, já saindo do veículo disparando, demonstra claramente que as vítimas não tiveram como se defender das agressões”, argumentou o promotor de Justiça, Leonardo Abinader Nobre.

De acordo com a investigação policial, por volta das 13h30min do dia 29 de fevereiro deste ano, na Rodovia Carlos Braga, km 06, próximo à comunidade São Sebastião, na zona rural de Iranduba, Givancir, acompanhado de mais duas pessoas efetuaram vários disparos contra Bruno e Dhelisson. 

Segundo o testemunho do sobrevivente, a arma de Givancir falhou ao disparar, o que lhe deu a oportunidade de correr para a mata, sendo atingido, ainda, por três tiros nas costas. 

Na ocasião do crime, o Portal AM1 apurou que a dupla teria ido até a mansão de Givancir, para pegar uma quantia em dinheiro referente à rescisão de trabalho. Ao receber o valor de R$ 300, “Thelcy” percebeu que uma das notas estava rasgada e devolveu por debaixo da porta, dando início a uma calorosa discussão. Após o desentendimento, os primos retornaram para casa ocupando uma motocicleta e durante o trajeto foram surpreendidos pela ação.

O MP também sustenta o motivo torpe como qualificadora dos crimes, uma vez que, segundo Dhelisson, a motivação das mortes seria ocultar um relacionamento amoroso mantido com Givancir, fato demonstrado por mensagens de texto no celular da vítima.

Prisão

No início de março, Givancir Oliveira foi preso por policiais civis da 31ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP), que cumpriram mandado de prisão temporária em nome do sindicalista. Na ocasião, um vídeo compartilhado nas redes sociais, mostrou o momento em que ele foi escoltado para a viatura da Polícia Militar. Populares gritaram “assassino” e palavras de baixo calão. 

Já no dia 31 do mês passado, Givancir teve a prisão temporária convertida para preventiva, pelo juiz Carlos Henrique Jardim da Silva, titular da 2ª Vara da Comarca de Iranduba.

 

(*) Com informações da assessoria

COMENTÁRIOS

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do portal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio ou poste spam.

Cadastre-se em nosso newsletter

E fique sempre informado com as últimas notícias

Loading