Operação Patrinus agora está sob o comando do Gaeco-MP

US - R$ 4,18

×

Operação Patrinus agora está sob o comando do Gaeco-MP

Grupo que investiga o crime organizado no Amazonas está atuando nesta operação, que apura corrupção no município de Coari com desvios de R$ 100 milhões

Com a Operação Patrinus, ainda realizando investigações e análises nos documentos, computadores, celulares e demais materiais apreendidos, a investigação do Ministério Público do Estado (MP-AM) entra numa nova fase, agora sob os cuidados do  Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do órgão ministerial. O MP investiga um esquema de corrupção na Prefeitura de Coari, que já desviou mais de R$ 100 milhões de dinheiro público.

A operação chegou a prender o prefeito da cidade, Adail Filho (PP), o presidente da Câmara Municipal de Coari, Keitton Pinheiro (PTB), e o empresário Alexsuel Rodrigues, sócio do supermercado Rodrigues, por conta das investigações, mas eles já estão soltos.

Desde que saiu da prisão temporária, no dia 2 deste mês, Adail Filho está de licença da prefeitura, autorizada pela Câmara de Vereadores. Em seu lugar, na gestão da cidade, está o primo, o presidente do Legislativo, Keitton Pinheiro.

Atualmente quem irá responder pela Câmara Municipal de Coari, é o vereador e então 2° Vice-presidente da Câmara, Carlinhos Filho Bem (PTC), pois a primeira vice-presidente Jeany Pinheiro (PP), encontra-se de licença.

Como argumento para conseguir a licença, Adail justificou que iria tratar de assuntos municipais, em Manaus. A sessão na Câmara que autorizou a licença de afastamento por 15 dias de Adail Filho, contou com a aprovação de 9 votos a favor e 3 contra, dos vereadores presentes. A licença passou a contar desde o dia 8.

No Diário Oficial dos Municípios (DOM), já consta a publicação da Câmara de Coari, o decreto legislativo municipal 07/2019, autorizado.

Pedido de cassação arquivado

No dia primeiro de outubro, foi  protocolado na Câmara de Coari o pedido requisitado pelo morador e eleitor de Coari, Samuel Hilton Marinho, que solicitou o afastamento de Adail Filho e Keitton Pinheiro por quebra de decoro parlamentar no exercício de ambos os cargos. O documento de número 395  foi para votação na Câmara, mas não foi aprovado.

Por nove votos a quatro,  a sessão presidida pelo vereador Carlos Endrick Nascimento (PSB), realizada no dia 7, arquivou o pedido de cassação do mandato de Adail Filho. Os parlamentares também arquivaram o pedido de afastamento do vereador Keitton Pinheiro.

Procurado pelo Amazonas1, Samuel Hilton Marinho diz está tranquilo com a escolha. “Olha recebi a notícia com mais absoluta tranquilidade. Vivemos em uma democracia e o pedido foi arquivado por ampla maioria dos votos dos vereadores, sendo assim então só me cabe aceitar o resultado, e aceitei serenamente”, afirmou.

Faça um comentário