Após PEC surpresa e ‘golpe’, Roberto Cidade é eleito novo presidente da Aleam - Amazonas1
18 de abril de 2021
Site auditado pelo
Manaus
24oC  29oC
Buscar

Redes Sociais

[email protected]

Após PEC surpresa e ‘golpe’, Roberto Cidade é eleito novo presidente da Aleam

Josué Neto (PRTB), atual presidente da Assembleia, será vice-presidente para o biênio 2021-2022 da nova Mesa Diretora

Após PEC surpresa e ‘golpe’, Roberto Cidade é eleito novo presidente da Aleam
Foto: Alberto César Araújo/Aleam

O dia na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) foi de intensa movimentação nos corredores, gabinetes e no Plenário da Casa, nesta quinta-feira (3). De uma só vez, uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) foi apresentada, analisada e promulgada, alterando a data de eleição da Mesa Diretora, que levou à eleição do deputado Roberto Cidade (PV) como novo presidente.

Toda essa movimentação foi categorizada como “golpe” por Alessandra Campêlo (MDB), Joana Darc (PL), Abdala Fraxe e Saullo Vianna (PTB), únicos contrários à PEC. Esses parlamentares acusam a Aleam de aprovar uma alteração na Constituição do Estado, de forma apressada, a fim de beneficiar o deputado Roberto Cidade, que é apontado como um “traidor” do governo.

Cidade teria orquestrado toda a situação, após não ter o apoio do governador Wilson Lima na eleição para presidente do Parlamento Estadual, conforme as acusações proferidas contra ele.

A chapa de Roberto Cidade foi eleita por 16 votos a 8, com o parlamentar se tornando presidente da Aleam, a partir de 2021/2022.

Os demais membros da Mesa Diretora eleitos são: Josué Neto, 1º vice-presidente; Mayara Pinheiro (PP), 2ª vice-presidente; Adjuto Afonso (PDT), 3º vice-presidente; Péricles Nascimento (PSL), secretário-geral; Álvaro Campelo (PP), 1º secretário; Sinésio Campos (PT), 2º secretário; Fausto Júnior (PRTB), 3º secretário; Felipe Souza (Patriota), ouvidor; e Therezinha Ruiz (DEM), corregedora.

Leia mais: Alessandra afirma que Josué Neto arma novo golpe para tentar derrubar Wilson Lima

Na prática, a PEC permitiu que a eleição da Mesa Diretora da Aleam pudesse ser antecipada para hoje, visto que a Constituição previa que esse pleito só seria realizado na última sessão deste ano, que estava prevista para o próximo dia 17 dezembro.

Alessandra Campêlo e Joana Darc disseram que o golpe ia além de só beneficiar Roberto Cidade, pois a intenção dos outros deputados de embarcar nessa ideia era de fechar uma aliança para viabilizar o impeachment do governador Wilson Lima. Antes dessa movimentação, a previsão era que Alessandra ou o deputado Belarmino Lins (PP) fosse escolhido para ser o indicado do governo a fim de assumir a presidência da Aleam.

Eleição

Logo após a promulgação da nova PEC, o presidente da Casa, deputado Josué Neto (PSD), convocou os parlamentares para que apresentassem as chapas que iriam concorrer para os cargos de presidente da Aleam e demais cargos da Mesa Diretora.

Duas chapas foram registradas para disputa do pleito, sendo encabeçadas por Roberto Cidade e a outra por Belarmino Lins, que foi o escolhido pelo governador Wilson Lima.

Leia mais: Joana Darc acusa Cidade de apoiar ‘golpe’ por não ter recebido apoio para ser presidente da Casa

Na Justiça

A deputada Alessandra Campêlo disse que já acionou a Justiça contra a manobra para se adiantar a eleição da Mesa Diretora da Aleam. Conforme a parlamentar, além de alterar a Constituição, os deputados precisariam modificar o Regimento Interno da Casa, que rege às ações dos deputados.

Alessandra destacou que essa mudança não aconteceu e, por conta disso a eleição antecipada era ilegal e cobrou uma resposta do presidente Josué Neto, mas ficou sem um parecer.

“Além de golpistas, são apressados, gulosos, gananciosos e burros”, disparou Campêlo para os colegas deputados.

Alessandra fez parte da segunda chapa que não conseguiu se eleger:

Presidente – Berlamino Lins
1º vice – Abdala Fraxe
2º vice – Cabo Maciel
3º vice – Saullo Viana
Secretário-geral – Dr Gomes
1º secretário – Joana D’Arc
2º secretário – Augusto Ferraz
Corregedor – Alessandra Campelo

COMENTÁRIOS

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do portal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio ou poste spam.

Cadastre-se em nosso newsletter

E fique sempre informado com as últimas notícias

[email-subscribers-form id="1"]