MENU
Logo Amazonas Um

Copyright © Portal Amazonas1. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita.

Brasil coloca o Uruguai na roda e faz Arena da Amazônia tremer

Seleção Canarinha selou mais uma etapa da caminhada rumo ao Qatar e venceu a Celeste por 4 a 1 em Manaus com a presença da torcida
Lucas Rodrigues – Portal AM1
• Publicado em 14 de outubro de 2021 – 22:31
Brasil
Foto: Lucas Figueiredo/CBF

MANAUS, AM – Após mais de 500 dias, a Seleção Brasileira se reencontrou com o seu 12° segundo jogador: a torcida. Na noite desta quarta-feira (14), em Manaus (AM), o Brasil deu um baile de 4 a 1 no Uruguai diante de 12.528 pessoas, consagrando a classificação para a Copa do Mundo do Qatar 2022 e trazendo alegria mais uma vez ao torcedor brasileiro.

A partida em Manaus não poderia ser mais simbólica. Nas duas ondas da covid-19, em 2020 e 2021, a capital amazonense foi a cidade brasileira que mais sofreu, com imagens dramáticas de vidas sendo perdidas e de uma crise de oxigênio sem precedentes, deixando centenas de mortos por falta de oxigênio todos os dias. Agora, com 43% de sua população completamente imunizada, os manauaras puderam, enfim, retornar aos estádios para empurrar a única pentacampeã do mundo.

O pré-jogo, inclusive, foi marcado por cenas inesquecíveis. Na hora do Hino Nacional Brasileiro, a torcida cantou a plenos pulmões junto com a seleção. No término do momento cívico, diante da torcida manauara, Neymar e Luís Suárez, companheiros de Paris Saint-Germain, fizeram uma “resenha” e riram juntos. Logo em seguida, antes de começar o jogo, momento memorável: um minuto de silêncio, para lembrar os mortos pela covid-19.

Leia mais: Estudantes acompanham treino da seleção brasileira em Manaus

O Brasil entrou em campo com Ederson no gol, Alex Sandro, Thiago Silva, Lucas Veríssimo e Emerson na zaga, Fred e Fabinho no meio de campo, Lucas Paquetá, Neymar e Raphinha no ataque, e Gabriel Jesus como volante. Já os Celestes começaram a partida com Muslera, Nández, Coates, Godín, Viña, Valverde, Betancur, Vecino, De La Cruz, Luís Suárez e Edinson Cavani.

A partida foi marcada por duas paradas técnicas: fazia 29° C em Manaus, com 72% de umidade relativa do ar. Durante todo o jogo, os brasileiros foram superiores, tendo a maior posse de bola do jogo, enquanto os uruguaios acabaram ficando desorganizados dentro de campo.

Primeiro tempo

A primeira tentativa de gol aconteceu ainda aos 2 minutos do 1° tempo. Com um time mais ofensivo que o normal, Neymar recebeu pela esquerda e soltou uma bomba na cara do gol. No entanto, Muslera defendeu, impedindo o primeiro gol.

A ofensiva, no entanto, continuou. No início dos 10 minutos, Neymar recebeu de Fred na grande área, matou no peito e dominou a bola. Na pequena área, o atacante do Paris Saint-Germain driblou Fernando Muslera e marcou o primeiro gol brasileiro, levando a Arena da Amazônia ao delírio e começando o show dos Canarinhos.

Como um garoto risonho, Neymar se reencontrou com uma velha amiga em Manaus: a torcida. Foto: Conmebol

Com um jogo tão disputado, não seria difícil que os uruguaios perseguissem o Brasil. Aos 16, por exemplo, Raphinha sofreu um carrinho violento na lateral direita, marcado por Viña. Mas isso não impediu que o próprio Raphinha marcasse para o Brasil.

Aos 17, Lucas Paquetá roubou a bola arrancou pela esquerda e cruzou para Neymar, na porta da grande área. De canto de olho, o ex-santista bateu e Muslera pegou com a ponta dos dedos. A bola sobrou para Raphinha, que driblou o goleiro e marcou o segundo a favor do Brasil.

Em todo o primeiro tempo, o Brasil criou chances, mas devido aos dois gols, a defesa uruguaia ficou mais alerta. Aos 43, os uruguaios tentaram um contra ataque a partir de uma cobrança de falta de fora da área. Coates chegou a cabecear em direção ao gol brasileiro, mas Ederson foi maior e segurou no alto da trave.

Segundo tempo

O segundo tempo começou com alterações na equipe uruguaia. Viña, De La Cruz e Nández saíram para que Piquerez, Cáceres e Torreira pudessem entrar para reforçar a defesa uruguaia. Mas a equipe brasileira continuou fazendo pressão, e entre os 5 e 6 minutos do 2° tempo, o time brasileiro quase marca com Raphinha e Gabriel Jesus, mas encontrou Muslera na cara do gol, que defendeu.

Aos 10 minutos, os uruguaios começaram o contra-ataque. Edinson Cavani recebeu de Valverde de fora da área, encontrou Ederson sozinho na cara do gol e bateu, driblando o goleiro. Poderia ser o primeiro gol da Celeste, mas foi impedimento.

Aos 12, no entanto, o Brasil revidou mais uma vez. Raphinha saiu jogando do meio de campo em direção ao gol uruguaio, e no meio do caminho, encontrou Neymar. O camisa 10 voltou a bola para o novato, e sozinho, Raphinha arrancou, marcando o terceiro gol brasileiro e correndo para o abraço da torcida e dos companheiros. Aos 14, Neymar quase marca o quarto, mas a bola foi salva por Muslera.

Raphinha marcou dois gols e foi o astro da vitória brasileira em Manaus. Foto: Lucas Figueiredo/CBF

No minuto seguinte, Tite fez substituições, uma delas aguardada pela torcida. Lucas Paquetá entrou no lugar de Antony, e no lugar de Gabriel Jesus, o flamenguista Gabigol, ídolo do Flamengo, cuja maior torcida do Brasil está em Manaus.

Os uruguaios tentaram contra-ataques em todos os momentos, mas não foram páreos para a defesa brasileira, fechada para defender Ederson. Aos 19, Gabigol fez o primeiro ataque, em uma tabela com Antony. Mas o ídolo flamenguista bateu mal, e a bola acabou indo para fora.

A Celeste voltou a partir para cima do Brasil. Nos 24 do segundo tempo, em uma dividida de bola com Cavani, Neymar acabou sendo derrubado pelo atacante do Manchester United. Não satisfeito, Cavani ainda passou por cima da cabeça do jogador, o que lhe gerou um cartão amarelo. Já aos 31, depois de uma falta, Luís Suárez marcou o primeiro gol uruguaio de falta.

Já aos 37 do segundo tempo, Neymar cruzou da esquerda diretamente para a cabeça de Gabigol, que jogou diretamente para o gol uruguaio, sem chance de Muslera pegar. Inicialmente, o bandeirinha marcou impedimento, mas o árbitro de vídeo marcou o quarto gol brasileiro do flamenguista, causando um verdadeiro frisson na torcida amazonense. Neymar ainda tentou marcar o quinto aos 49 do segundo tempo, mas a vitória por 4 a 1 foi o marco principal da partida, que selou o reencontro entre a seleção e o seu 12° jogador: a torcida, diante de uma tricentenária Manaus que vence, pouco a pouco, a pandemia da covid-19.

Próximos jogos

O Brasil volta a campo pelas Eliminatórias no dia 11 de novembro, quando enfrenta a Colômbia em Bogotá. Os Canarinhos seguem no primeiro lugar da tabela da competição, e já têm vaga garantida na Copa de 2022 no Qatar.

Já a Arena da Amazônia recebe público novamente no próximo domingo (17). Restrito a 14 mil pessoas, o estádio vai receber Manaus FC x Ypiranga (RS) pelo quadrangular final da Série C do Brasileirão. O jogo pode valer o acesso da equipe à Série B do Campeonato para 2022, e vai acontecer 581 dias depois do último encontro entre o Gavião e sua torcida no palco sagrado do futebol amazonense.

Acompanhe em tempo real por meio das nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter.

Publicidade

Publicidade

MATÉRIAS RELACIONADAS

Copy link
Powered by Social Snap