Manaus, 20 de maio de 2024
×
Manaus, 20 de maio de 2024

Opinião

Carlos Santiago

Caciquismo gosta de fidelidade

Em caso de vitória, quem seria mais fiel ao governador e aos aliados, depois da posse no cargo de prefeito?

Caciquismo gosta de  fidelidade

Roberto Cidade e Alberto Neto. (Foto: Divulgação/Aleam)

Por Carlos Santiago*

O governador e seus aliados políticos, embora com uma administração com boa aceitação popular, correm para emplacar um representante no segundo turno da eleição municipal de 2024. Não é uma missão fácil. Alberto Neto ou Roberto Cidade?

Tanto Alberto Neto quando Roberto Cidade são aliados do governo Wilson Lima. Nas últimas pesquisas, eles aparecem empatados na terceira posição, ficando atrás do prefeito David Almeida e do deputado federal Amom Mandel. Então, se a eleição fosse hoje, nenhum dos dois iam para o segundo turno.

Mas até o último dia do prazo para os registros de candidaturas muitas “águas vão rolar” no cenário político. Há possibilidade de união dos pré-candidatos Alberto Neto e Roberto Cidade antes do primeiro turno? Sim. Porém, existem perguntas envolvendo os critérios para a composição.

Fidelidade

Em caso de vitória, quem seria mais fiel ao governador e aos aliados, depois da posse no cargo de prefeito? Roberto Cidade no comando da Assembleia Legislativa já demonstrou fidelidade ao governador; Capitão Alberto Neto nunca abandonou o Wilson Lima, nem mesmo no período em que foi pedido o impeachment do governador.
Esse critério, inclusive, foi usado por David Almeida para escolher o vice-governador na composição com Wilson Lima nas eleições de 2022.

Apoio

Quem tem mais apoio político e social? Roberto Cidade tem apoio direto do governador e de vários partidos, lideranças sociais e de entidades religiosas; o capitão Alberto Neto tem apoio de Jair Bolsonaro, dos movimentos de direita e de entidades religiosas.

Empatia popular

Quem tem carisma popular? Capitão Alberto Neto foi reeleito deputado federal com uma votação expressiva; Roberto Cidade foi o deputado estadual eleito com a maior votação. Porém, ambos estão longe de uma liderança carismática. São competitivos porque seus nomes são chancelados por caciques políticos.

Aspecto moral e prejuízo político

Em caso de desistência, quem terá a grandeza e o possível prejuízo político? Ambos são jovens, mas a retirada de uma pré-candidatura terá um efeito imediato e para o futuro, para o bem ou para o mal.Qual seria a outra oportunidade ou conjuntura que teriam Roberto Cidade e Alberto Neto para disputar uma eleição pra prefeito com condições competitivas? É só observar a situação do coronel Menezes. Ele conquistou uma votação imponente em 2024, agora disputa uma vaga na Câmara de Vereadores. Não conseguiu um partido e nem apoio do Bolsonaro para disputar o cargo de prefeito.

Nesse jogo político envolvendo dúvidas, fidelidade, apoio, empatia e o aspecto moral, o pior dos cenários futuros é um nome político ligado ao governador não ir ao segundo turno na eleição municipal. Não custa lembrar que desde 1985 um governador não elege diretamente o seu candidato a prefeito na cidade de Manaus.

Não tenho bola de cristal para saber quem pode desistir: Alberto Neto ou Roberto Cidade. Ambos podem ir até o fim, sem desistência. Aliás, a corrida eleitoral está aberta. Mas, se eu for perguntado qual o critério mais claro para a maioria dos grupos políticos do Brasil escolher o preferido, direi que é a fidelidade. Esse é, sem dúvida, o maior critério do caciquismo político.

Sociólogo, advogado e pós-graduado em Ciência Política

Os artigos publicados pelos colunistas são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam as ideias ou opiniões do Portal AM1.