Manaus, 1 de março de 2024
×
Manaus, 1 de março de 2024

Prefeito assina PL para concurso da Semed, mas professores do cadastro reserva podem ficar na fila

Prefeito assina PL para concurso da Semed, mas professores do cadastro reserva podem ficar na fila

O prefeito de Manaus, David Almeida, assinou, na tarde desta segunda-feira (18), um Projeto de Lei que cria 3,2 mil novos cargos dentro da Secretaria Municipal de Educação (Semed) para, enfim, abrir o concurso público para os professores da capital. A medida, porém, poderá beneficiar apenas parte da categoria.

Acontece que o concurso público em questão foi uma medida tomada pela Semed, ainda na gestão do ex-secretário Pauderney Avelino, com o objetivo de fazer a convocação de mais de 1,6 mil professores do cadastro reserva do concurso de 2018, que aguardam o chamamento até hoje.

Em discurso na Câmara Municipal de Manaus (CMM), na semana passada, porém, a nova secretária da Semed, irmã do prefeito, Dulce Almeida, afirmou que apenas 400 professores do cadastro de reserva serão chamados, e não detalhou o que acontecerá com os demais.

Leia mais: Semed: Dulce Almeida anuncia concurso, mas ignora professores do certame passado

“Acabo de assinar o Projeto de Lei para abrirmos 3.200 novos cargos no âmbito da SEMED entre professores, pedagogos e gestores para o preenchimento de cadastro reserva e do posterior concurso público para a área de educação do município. Ao lado da secretária de educação Dulce Almeida e do subsecretário Lourival Praia, e do chefe da Casa Civil, Dr. Rafael Bertazzo, eu compartilho com vocês esta ótima notícia da tarde desta segunda-feira”, diz o prefeito no post compartilhado nas redes sociais.

Enquanto isso, os professores que aguardam a convocação cobram que a promessa feita anteriormente pela pasta seja cumprida. A categoria ainda acredita que os educadores podem ser chamados, visto que o prazo do processo do certame anterior é até 2023.

Leia mais: Mais de 10 mil professores da Semed cobram reajuste do auxílio-alimentação

“Nós vamos aguardar as chamadas, né. Ficou de ter as chamadas do cadastro de reserva e vamos verificar como é que vai ficar o andamento até o final desse processo, porque nós temos até janeiro de 2023 para poder assumir nossos cargos. Fé em Deus que todo mundo vai assumir né, vamos acreditar. E é isso, agora a assinatura do PL vai para votação e vamos esperar. Depois disso, vamos tomar outras medidas, por enquanto, só esperar, a gente tem que aguardar”, disse uma professora da Semed, que preferiu não se identificar.