Deputados voltam a cobrar andamento do processo de cassação de Joana Darc na Aleam

Deputada acusou parlamentares receberem propina na eleição de Roberto Cidade.
Juliana Siqueira- Portal AM1
Publicado em 15/04/2022 04:58
Deputados voltam a cobrar andamento do processo de cassação de Joana Darc na Aleam
Foto: reprodução

Os deputados Wilker Barreto (Cidadania) e Dermilson Chagas (Republicanos) voltaram a cobrar sobre o andamento do processo de cassação da deputada Joana Darc (União Brasil), que tramita na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), desde 2020. O processo começou após a parlamentar acusar 16 deputados da Casa de terem recebido R$ 200 mil para elegerem o deputado Roberto Cidade (União Brasil) como presidente da Aleam.

A eleição em questão ocorreu em dezembro de 2020 em meio a diversas discussões sobre a forma como a votação foi realizada. Na ocasião, Joana Darc criticou os colegas, demonstrando ser contra a vitória de Cidade.

Leia mais: Acusada de custear blog de fofoca, Joana Darc se defende: ‘exploração de fake news’

Dermilson e Wilker, então, deram entrada com o pedido de processo de cassação que até o momento encontra-se inerte na Aleam. A cobrança sobre o andamento do processo vem sendo feita desde o início de 2021 até hoje, mas nada acontece.

Para os dois, há certa incongruência na morosidade do parlamento e ‘enrolação’ para punir a deputada. De acordo com Wilker Barreto, o processo já tem admissibilidade e deveria seguir para a Comissão de Ética, mas encontra-se parado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), comandada pelo deputado Delegado Péricles (PL).

Leia mais: Wilker Barreto se filia ao Cidadania, mas diz que queria ir para o PSDB, de ‘Amazonino e Arthur’

“E eu estou, presidente Roberto Cidade, cobrando, cobrei ontem e cobrarei hoje, como está a questão do processo que 16 deputados foram chamados de propineiros, de que receberam dinheiro para votar em vossa excelência. Eu estou pedindo providências porque essa Casa precisa dar a resposta para a sociedade. Já se passaram mais de um ano e não se tem uma definição sobre o caso. Então, presidente, eu estou pedindo. Já passou pela CCJ, tem admissibilidade e precisa seguir para a Comissão de Ética. A Assembleia de São Paulo é rígida, a do Amazonas passa a mão na cabeça”, disse o parlamentar.  

Já o deputado Dermilson ameaçou levar o assunto para as redes sociais e criticou a Aleam por não fazer nada. “Eu estou muito preocupado com o andamento da Casa. Nós temos aí uma situação, que ontem eu e o deputado Wilker falamos, da deputada Joana. Eu vou colocar no meu Facebook e saber quem foi, dos 16 deputados, que pegou R$ 200 mil […] É inadmissível que a Assembleia se arraste para não ter o processo da deputada Joana. É inadmissível que a gente não tenha um pedido de resposta”, disse.

Leia mais: Eleição 2022: aproximação entre Dermilson e Silas pode indicar filiação ao Republicanos

“Eu gostaria de uma resposta de vossa excelência para saber por que segurar um processo da Joana que chamou 16 deputados de propineiro e ela disse que o senhor que pagou. Eu vou cobrar de público os nomes, porque é inadmissível senhor presidente”, continuou.

De acordo com a assessoria do deputado Delegado Péricles, a CCJ, encaminhou o processo para a Mesa Diretora, onde deverá ser definido se o caso será arquivado, se o mandato da deputada será suspenso temporariamente ou cassado, de fato. A reportagem procurou a assessoria da Aleam para obter um posicionamento da Mesa Diretora, mas até o momento não houve retorno.

A reportagem também procurou a deputada Joana Darc para se posicionar sobre as falar de Wilker e Dermilson, mas não houve retorno aos questionamentos.  

Compartilhar:
Acompanhe em tempo real por meio das nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter.

+ NOTÍCIAS