Manaus, 24 de fevereiro de 2024
×
Manaus, 24 de fevereiro de 2024

Brasil

Google homenageia o patrono da educação de cegos no Brasil

A data de aniversário do professor José Alvares de Azevedo foi escolhida para comemorar o Dia Nacional do Sistema Braille.

Google homenageia o patrono da educação de cegos no Brasil

José Alvares de Azevedo idealizou a primeira escola para cegos no Brasil (Foto: Google/Reprodução)

Manaus (AM) – O professor José Alvares de Azevedo foi homenageado pelo Google neste sábado, dia em que o primeiro professor cego brasileiro completaria 189 anos. A plataforma escolheu a imagem do brasileiro para ilustrar o doodle, logotipo do Google usada para comemorar datas importantes.

Na imagem, José Alvares aparece segurando um livro em Braille, junto de crianças e até idosos que conseguem ler com a ajuda dos pontos registrados nos livros.

A data de aniversário do professor foi escolhida para comemorar o Dia Nacional do Sistema Braille. José Alvares foi responsável por trazer para o Brasil o sistema que revolucionou a educação de cegos no país. A escrita que utiliza pontos em relevo para identificar as letras do alfabeto foi desenvolvida por Louis Braille na França, daí o nome.

“O Doodle de hoje homenageia o professor brasileiro José Álvares de Azevedo, fundador da primeira escola para pessoas com deficiência visual no país e responsável por trazer o Sistema Braille para o Brasil. Por conta de suas contribuições na inclusão de pessoas com deficiência a data de seu aniversário foi declarada como Dia Nacional do Braille”, diz a publicação feita pelo Google.

José Álvares foi o idealizador da primeira escola para o ensino de cegos no Brasil, o Imperial Instituto de Meninos Cegos, o Instituto Benjamin Constant, inaugurado em 17 de setembro de 1854, no Rio de Janeiro).

    Em Manaus, a Escola Estadual Joana Rodrigues Vieira, no bairro da Glória, Zona Oeste de Manaus, é referência na educação para alunos com deficiência visual. Durante todo o processo de ensino das crianças, a escola trabalha a inclusão social, oferecendo ao aluno deficiente visual o ensino do Braille e do sorobã, instrumento utilizado para fazer cálculos.

    LEIA MAIS: