MENU

Copyright © Portal Amazonas1. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita.

Guarda municipal acusado de vazar informações para facção criminosa é preso pela PC

Ele teria colaborado com a facção que ordenou os ataques aos órgãos públicos da Prefeitura de Careiro Castanho, em junho deste ano.
Da redação – Portal AM1
• Publicado em 25 de junho de 2021 – 21:53
Foto: Mayara Viana/PC-AM

MANAUS/AM- A Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), por meio da 34ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Careiro Castanho (distante 88 quilômetros da capital), com o apoio do Comando de Operações Especiais da Polícia Rodoviária Federal (COE-PRF), deflagrou nesta sexta-feira (25), o desdobramento da operação “Mão de Ferro”, que resultou nos cumprimentos dos mandados de prisão e de busca e apreensão em nome de Jair Gomes de Moura, 47, chefe da Guarda Municipal daquele município.

O indivíduo é apontado como colaborador de uma facção criminosa que ordenou os ataques aos órgãos públicos da Prefeitura de Careiro Castanho, ocorridos entre os dias 5 e 7 de junho deste ano.

Durante coletiva de imprensa realizada na sede da Delegacia Geral, no bairro Dom Pedro, zona centro-oeste da cidade, o delegado-geral adjunto da PC-AM, Tarson Yuri Soares, esclareceu que essa é mais uma ação exitosa, que culminou na prisão de um servidor que foi cooptado para dar apoio na realização dos ataques criminosos, que depredaram prédios públicos de Careiro Castanho.

“Após as investigações acerca do caso, foi constatado que, devido à aproximação do guarda civil com a Segurança Pública da localidade, o mesmo conseguiu informações sobre o primeiro desdobramento da operação ‘Mão de Ferro’, e colaborou com o vazamento de informações privilegiadas das operações policiais, direcionando dados confidenciais a outros envolvidos no esquema dos ataques, que também teve Careiro Castanho como um dos alvos”, informou o delegado-geral adjunto.

Conforme a delegada Tatyanna Lobo, diretora interina do Departamento de Polícia do Interior (DPI), o departamento ofereceu o apoio logístico para que a operação acontecesse. Na primeira fase foram integrados 35 policiais civis, que, no momento que souberam do caso, deram o apoio necessário às equipes da 34ª DIP.

Durante a coletiva, o chefe do COE-PRF, Diego de Farias, relatou que, desde que a PRF tomou ciência dos atentados ocorridos em Manaus, foram tomadas medidas internas imediatas em relação ao aumento do efetivo nas unidades, para trazer reforço especializado ao Amazonas.

Segundo o delegado David Jordão, titular da 34ª DIP, que coordenou a ação, as investigações apontaram que o indivíduo chegou a apagar as imagens das câmeras de segurança da Prefeitura do Careiro Castanho, imagens essas que mostram os momentos dos ataques criminosos aos prédios.

“Na primeira fase da operação, o objetivo era dar cumprimento a 30 mandados de prisão, e em razão desse vazamento de informações, o êxito da fase foi diminuído, de forma que apenas 14 mandados foram efetivamente cumpridos. A Justiça entendeu como necessária a prisão preventiva dele”, explicou o titular.

Os mandados de prisão e de busca e apreensão foram expedidos no dia 24 de junho deste ano, pelo juiz Roberto Santos Taketoni, da Vara Única da Comarca do Careiro Castanho. Durante a prisão de Jair, os policiais apreenderam com ele um carro e um aparelho celular, que foram encaminhados à perícia.

Procedimentos

Jair irá responder pelos crimes de associação criminosa, associação ao tráfico e fraude processual. Ele se encontra na carceragem da 34ª DIP do Careiro Castanho, e será encaminhado à Central de Recebimento e Triagem (CRT), onde ficará à disposição da Justiça.

(*) Com informações da assessoria

Acompanhe em tempo real por meio das nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter

Publicidade

Publicidade

MATÉRIAS RELACIONADAS

Copy link
Powered by Social Snap