MENU

Copyright © Portal Amazonas1. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita.

Líder do governo diz que cloroquina não pode cair só nas costas do presidente

Senador do MDB do Tocantins, o líder do governo no Congresso diz que os que aguardavam uma carga política vinda da CPI 'vão se decepcionar muito'
• Publicado em 10 de maio de 2021 – 09:01

Brasília/DF – O líder do governo no Congresso, Eduardo Gomes (MDB-TO), disse neste domingo (9), em entrevista à CNN, que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) não pode ser o único responsabilizado pelo incentivo ao tratamento precoce e ao uso de cloroquina para tratar a Covid-19. O tema vem sendo discutido nas oitivas da CPI da Covid.

“A gente não pode colocar esse tipo de medida só nas costas do presidente. Vários governadores defenderam, em algum momento, o uso do tratamento precoce. Além disso, basta fazer um registro no Conselho Regional de Medicina de qualquer estado, e pegar milhares de receitas prescritas por médicos e profissionais da área.”

Gomes afirmou que ex-ministros da saúde de Bolsonaro “chegaram, sim, a orientar para os estados o tratamento precoce.” “Não estou culpando os ex-ministros e também não entendo que se culpe só o presidente da república, até porque nenhum brasileiro vai tomar remédio sem prescrição médica. Há sempre um profissional habilitado da área para fazer a opção se passa ou não qualquer tipo de medicamento.”

O Senador disse, ainda, que todas as perguntas da CPI da Covid-19 levantadas a partir dos primeiros depoentes refletem em uma questão mundial.

“A gente entende que, com o depoimento dos ex-ministros Mandetta e Teich, ficou muito claro que a CPI terá que buscar um caminho propositivo, já que ela é cercada de dúvidas que não são só inerentes à questão da pandemia no Brasil. Praticamente todos os questionamentos feitos desde cloroquina, vacina ou qualquer outro tipo de interrogação do plano de trabalho do relator, tem a ver com o contexto mundial em absolutamente todos os pontos.”

Dessa forma, Gomes acredita que: “Aqueles que aguardavam uma carga política, mais voltada para a repercussão política com relação à CPI, tenho certeza que vão se decepcionar muito.”

(*) Com informações da CNN

Publicidade

Publicidade

MATÉRIAS RELACIONADAS

Copy link
Powered by Social Snap