Manaus, 27 de maio de 2024
×
Manaus, 27 de maio de 2024

Cenário

Lula destrava emendas individuais e Braga fica com R$ 63 milhões

O que Braga recebeu é mais que o dobro do valor liberado por Lula ao presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), que teve a liberação de apenas R$ 24 milhões.

Lula destrava emendas individuais e Braga fica com R$ 63 milhões

(Foto: Divulgação)

Manaus (AM) – O senador Eduardo Braga (MDB) conseguiu R$ 63 milhões em emendas individuais liberadas pelo presidente Lula nesta semana. O líder político no Amazonas está no grupo seleto de aliados do mandatário que foram contemplados com parte dos R$ 2,4 bilhões, destravados pelo presidente.

Cada senador tem direito a R$ 69,6 milhões, valor que é para todo o ano. Braga chegou próximo de ter a liberação de quase todo o valor anual de uma só vez.

O que o representante do Amazonas recebeu é mais que o dobro do valor liberado por Lula ao presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), que teve a liberação de apenas R$ 24 milhões.

Assim como agora, Braga também foi contemplado com emendas milionárias no primeiro semestre do ano passado. Havia sido destinado para o emedebista o valor de R$ 29,5 milhões.

Até junho de 2023, Lula já havia empenhado R$ 6,6 bilhões em emendas, que representavam 17,6% do total disponível para aquele ano. No período equivalente a 2019, o presidente na época, Bolsonaro (PL), tinha reservado R$ 2,1 bilhões, o que correspondia a 11,7% do total daquele ano.

Para 2024, a meta de Lula é o empenho de R$ 4,3 bilhões em emendas até junho. Até dezembro, o valor total será de R$ 8,6 bilhões. O cronograma dos repasses foi estipulado por meio de decreto presidencial assinado em fevereiro deste ano.

Privilégio

A partir de junho, devido ao calendário eleitoral, há limitações a esses repasses. No caso de Braga, que recebeu as emendas mais cedo, vai ter mais tempo e chances para obter ganhos políticos.

E as articulações de olho em 2026 já começaram desde o ano passado. Em novembro, por exemplo, Braga reuniu com 23 prefeitos na sede da Caixa Econômica Federal, em Manaus, onde foram anunciados contratos no valor de mais de R$ 300 milhões para 22 municípios, inclusive para a capital.

E se tratando de ganhos políticos, parte dessas emendas deve ser destinada à gestão do prefeito de Manaus, David Almeida (Avante), o nome apoiado por Braga na corrida deste ano pela prefeitura da capital amazonense – principal colégio eleitoral do Amazonas.

As eleições municipais de 2024 são um prato cheio para que os senadores tentem emplacar aliados nos cargos com o intuito de se fortalecer para as Eleições 2026, quando os parlamentares terão a oportunidade de se candidatar à reeleição no Senado ou abandonar a Casa para disputar o comando de seus estados.

No caso de Braga, sua atual configuração política é apoiar o prefeito de Manaus numa possível disputa à reeleição para fortalecer sua base política, pensando em 2026, quando sua cadeira no Senado Federal estará em jogo.

De olho em 2026

Na próxima eleição geral, o emedebista poderá disputar o Governo do Amazonas ou brigar pela sua permanência no Legislativo federal.

Contudo, Braga terá pela frente um nome já conhecido nas urnas e que lhe tirou, em 2022, as chances de governar o Amazonas mais uma vez: Wilson Lima (UB), governador reeleito, que deve disputar uma das duas cadeiras do Amazonas em jogo nas próximas eleições gerais.

 

LEIA MAIS: