Relatório final de intervenção no transporte coletivo aponta ‘falta de melhorias’ - Amazonas1

Denúncias, sugestão de matérias e outros assuntos

1 de outubro de 2020
Site auditado pelo
Manaus
23oC  33oC
Buscar

Redes Sociais

[email protected]

Relatório final de intervenção no transporte coletivo aponta ‘falta de melhorias’

Segundo os vereados que analisaram o relatório, o prefeito Arthur Neto não deve assumir o ônus do problema sozinho

Relatório final de intervenção no transporte coletivo aponta ‘falta de melhorias’
Foto: Márcio Silva - Portal Amazonas1

O relatório final sobre a intervenção feita pelo Executivo no Sistema de Transporte Coletivo de Manaus foi entregue, oficialmente à 8ª Comissão de Transporte, Mobilidade Urbana e Acessibilidade da Câmara Municipal de Manaus (Comtmua/CMM), na quinta-feira, 16.

O teor do documento foi analisado, preliminarmente, pelos vereadores e representantes da prefeitura, durante reunião virtual, que foi dirigida pelo presidente da referida comissão, Rosivaldo Cordovil (PSDB).

Leia mais: ‘As farras acabaram’, diz Arthur Neto ao mostrar relatório de intervenção do Transporte

Pontos como a falta de melhorias na frota – que é uma das exigências para a renovação dos contratos com as empresas –, a concorrência com o aumento dos serviços oferecidos pelos transportes por aplicativos, além das fraudes detectadas no sistema de gratuidade das passagens, foram destacados pelos participantes.

Ao comprovar a situação difícil em que se encontra o transporte coletivo na capital amazonense, o relatório também aponta para a necessidade de melhorias em todo o sistema. Nesse sentido, algumas medidas tomadas pela prefeitura, como forma de se antecipar ao problema e dar as condições necessárias de infraestrutura para a cidade em relação ao assunto, também foram ressaltadas na reunião.

Entre as principais estão o subsídio mantido na meia-passagem aos estudantes, a gratuidade da passagem às pessoas com deficiência e as obras de mobilidade urbana; materializadas no recapeamento de ruas e avenidas; construção de passagens de nível e revitalização dos terminais rodoviários.

Em opinião quase que unânime, os participantes da reunião enfatizaram que o Poder Público Municipal não deve assumir o ônus do problema sozinho. Pela ordem, a responsabilidade em relação ao transporte público coletivo deve ser dividida entre os governos federal, estadual e municipal.

Novos ônibus

Mesmo com as dificuldades, a intervenção junto às empresas deve fazer com que Manaus receba até 300 novos ônibus, ainda este ano, segundo comunicou o presidente do Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (IMMU), Francisco Bezerra.

O secretário municipal de Articulação Política, Luiz Alberto Carijó, aproveitou a deixa para sugerir que uma pequena comissão, com a presença de três vereadores, no máximo, possa visitar uma das fábricas, no Rio de Janeiro, onde os veículos são preparados para aportar em Manaus.

Rosivaldo Cordovil informou que levará a proposta ao conhecimento do presidente da CMM, Joelson Silva (Patriota).

“Vamos verificar isso, para ver de que forma fazer essa visita in loco às empresas’, disse Rosivaldo.

Bola de neve

De acordo com Carijó, a situação virou uma “bola de neve” nos últimos anos. Em 2014 e 2015, muitas pessoas não tinham como pagar para andar de ônibus. Desempregados, alguns foram buscar refúgio nos aplicativos, como meio de renda, para suprir as necessidades financeiras.

“Além de não pagar nenhum imposto, isso proporcionou uma concorrência desleal”, observou Carijó.

Outros participantes

Além de Rosivaldo Cordovil, Francisco Bezerra e Luiz Alberto Carijó, a reunião contou com a participação do vice-presidente do IMMU, Pedro Carvalho; do titular da Agência Reguladora dos Serviços Públicos Delegados do Município de Manaus (Ageman), Fábio Alho; do titular da Controladoria Geral do Município de Manaus (CGM); Arnaldo Flores; e dos vereadores Marcel Alexandre (Podemos), Wallace Oliveira (Pros); Diego Afonso (PSL), Elissandro Bessa (Solidariedade) e Cel. Gilvandro (PSDB).

(*) Com informações da CMM

COMENTÁRIOS

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do portal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio ou poste spam.

Cadastre-se em nosso newsletter

E fique sempre informado com as últimas notícias

Loading