Sesi Amazonas oferece aulas de balé on-line em quarentena
A + A -

Denúncias, sugestão de matérias e outros assuntos

4 de junho de 2020
Site auditado pelo

Redes Sociais

[email protected]

Sesi Amazonas oferece aulas de balé on-line em quarentena

A ideia é ampliar a prática para outras modalidades, como a dança contemporânea e jazz, além de aumentar o número de aulas por semana.

Sesi Amazonas oferece aulas de balé on-line em quarentena
Divulgação: Assessoria

Para não deixar o corpo parado, aliviar o estresse e auxiliar na melhoria da qualidade de vida, a dança tem sido opção de incentivo para a prática de atividades físicas em casa.

É o que tem feito a professora de balé e jazz, Rafaela Oliveira, com a turma de alunas do Serviço Social da Indústria (Sesi Amazonas).

Em meio a mudanças causadas pela pandemia, a instituição oferece aulas de balé, on-line.

A experiência já está na terceira aula, com cada vez mais adesões de alunos e, de acordo com Oliveira, reunidos em duas turmas de balé com uma hora de aula por semana, por enquanto.

A ideia é ampliar a prática para outras modalidades, como a dança contemporânea e jazz, além de aumentar o número de aulas por semana, conforme o ingresso de novos alunos.

“Foi algo novo lecionar aula de forma on-line, observei que outros profissionais vêm fazendo e resolvi aproveitar o contato que eu já tinha com os alunos e aplicar. Sábado, 23, será minha quarta aula e, juntos, estamos no processo de adaptação da turma infantil de balé. O retorno tem sido muito bom, apoiado também pela adesão dos pais”, contou ela.

Formato 

Por conta do formato até então desconhecido, Rafaela explica que para contar com alunas do nível iniciante, na faixa etária de seis anos, conversou e auxiliou os pais no uso da plataforma para facilitar as aulas em casa.

“Nesse novo formato estou com oito alunas. Temos alunas com seis anos, mas também temos um público mais velho, com 30. Nem todos os alunos aderiram ainda, mas é um processo de tornar a prática mais conhecida e conquistar novas adesões”, disse Oliveira.

A metodologia das aulas a distância tem seguido a mesma ordem de exercícios de uma aula presencial.

Primeiro são mostrados os movimentos a serem executados, posteriormente os mesmos são feitos pelos alunos, com o auxílio da professora, e no terceiro momento os alunos executam sozinhos.

“Recomecei as aulas e estou aplicando exercícios mais leves para os alunos, aos poucos, voltarem ao ritmo, tendo em vista o tempo em que ficaram parados por conta da pandemia”, revelou a professora, ao ponderar as dificuldades que podem existir com as aulas on-line.

“Presencialmente conseguimos corrigir mais, temos a música em perfeita sincronia com os movimentos e, nas aulas on-line, ás vezes há um pouco de instabilidade no som, imagem e na voz. E ainda pode haver a distração, porque no ambiente de casa qualquer coisa pode mudar o foco da aula”, relata Rafaela.

Na modalidade em que os alunos desenvolvem a capacidade de concentração, coordenação motora e ritmo, a professora ressalta que tudo é trabalhado de forma gradual, respeitando o trabalho individual de cada aluno, dentro do seu amadurecimento psicomotor.

Por meio do trabalho on-line, Oliveira incentiva novos adeptos à dança para que mantenham os corpos mais ativos, e em forma, passando bem por esse período tão duro.

“Nessa quarentena,  creio que temos momentos para tudo, momentos para não fazer nada, para trabalhar, refletir e eu acho que cada momento deve ser vivenciado e apreciado, mas não temos que dar lugar totalmente a ociosidade, tudo tem que ter uma moderação e os exercícios físicos, como a dança, nos ajudam em diversos fatores”, relatou ela, ao acrescentar que o estresse pode ser minimizado com a prática de atividades, além de trazer prazer e diversão.

 

(*) Com informações da Assessoria

Amazonas1 TV

Publicado por Amazonas1

COMENTÁRIOS

Os comentários são via Facebook, e é preciso estar logado para comentar. O comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do portal. Você pode ser denunciado ou até mesmo banido caso comente algo racista, incite o ódio ou poste spam.

Cadastre-se em nosso newsletter

E fique sempre informado com as últimas notícias