‘Não sou charlatão, nem curandeiro’, rebate Bolsonaro

O presidente comentou sobre a proposta que a CPI da Covid move para indiciá-lo por charlatanismo, por incentivar o tratamento precoce
Publicado em 17/08/2021 10:31
Governo
Foto: Agência Planalto

BRASÍLIA, DF – Em entrevista à Rádio Capital Notícia nesta terça-feira (17), o presidente Jair Bolsonaro afirmou que apenas deu uma alternativa sobre o tratamento precoce, para que os brasileiros possam combater a covid-19. A CPI da Covid decidiu propor o indiciamento de Bolsonaro pelo crime de charlatanismo, por destacar o uso dos medicamentos sem eficácia comprovada.

O presidente criticou a proposta e negou as acusações. “Não sou charlatão, nem curandeiro, só dei uma alternativa”, rebateu. Em defesa, Bolsonaro afirmou que buscou médicos para conseguir uma alternativa de combater a doença. “Por que essa onda toda contra o tratamento precoce? Será que é um grande negócio para a indústria farmacêutica para comprar vacina?”, questionou.

Leia mais: Doria ironiza Bolsonaro com convite: ‘pode até vim de motocicleta, desde que vacinado’

Bolsonaro ainda aproveitou o momento para disparar críticas ao governador de São Paulo, João Doria. Segundo o presidente, os brasileiros imunizados com a CoronaVac acreditaram no governador e estão morrendo. “Ninguém tem coragem de falar, mas que tem gente que tomou as duas doses, foi infectado e está morrendo. Por que está morrendo? Porque acreditou nas palavras do governador de São Paulo de dizer que quem tomar as duas doses da Coronavac e for infectado jamais morrerá”, disse.

O parlamentar pediu para que o brasileiro que testar positivo para a covid-19, busque orientação médica e, caso eles recomendem o tratamento precoce, “faça, mesmo sem ter sido vacinado duas vezes”. Ele disse que se a pessoa esperar em casa sem realizar tratamento, “pode ser tarde demais”.

(*) Com informações do Uol

Acompanhe em tempo real por meio das nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter.

Compartilhar:
Acompanhe em tempo real por meio das nossas redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter.

+ NOTÍCIAS