Depois de Braga, internautas pedem volta de Amazonino

US - R$ 4,13

×

Ex-governador aparece em primeiro lugar, com 21% das intenções de votos, em pesquisa eleitoral da DMP/Tiradentes, divulgada nesta segunda-feira, 15

Aliados do ex-governador resolveram fazer campanha nas redes sociais pelo seu retorno à política (Foto: Reprodução/Instagram)

Derrotado nas urnas pelo atual governador Wilson Lima (PSC) nas eleições do ano passado, o nome do ex-governador Amazonino Mendes (PDT) tem sido ventilado em pesquisas eleitorais, por aliados e simpatizantes como um provável pré-candidato para disputar as eleições municipais de 2020.

Nesta segunda-feira, 15, o nome de Amazonino apareceu com destaque em uma pesquisa do Instituto DMP/Tiradentes. Pela sondagem, se a eleição para prefeito de Manaus fosse hoje, ele teria a preferência de 21% do eleitorado.

O ex-governador deixaria para trás adversários como David Almeida (Avante), que recebeu apenas 15% das intenções e, José Ricardo (PT), que teve 14%. Nesse levantamento, candidatos testados em pesquisas anteriores não foram inseridos, como o do presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), Josué Neto (PSD).

Decano da política amazonense, considerado “padrinho” de muitos políticos que estão com mandato, atualmente, Amazonino foi quatro vezes governador, três vezes prefeito de Manaus, uma vez senador da República. Com 79 anos, o ex-governador é defendido por correligionários como um gestor com “experiência”.  

 

Empolgados

O resultado da pesquisa do Instituto Tiradentes empolgou seguidores do ex-governador, nas redes sociais. Com a hastag #VoltaNegão, muitos correligionários compartilharam uma imagem do principal símbolo de Amazonino, uma abelha.

A publicidade dos seguidores de Amazonino lembrou a iniciativa dos seguidores do senador Eduardo Braga (MDB), no mês passado, quando ele apareceu em segundo lugar em pesquisa de intenção de voto, divulgada em junho.

Apesar do movimento nas mídias sociais, o ex-governador não comenta e tem evitado fazer aparições públicas. Paralelamente, seus advogados estão pressionando o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) para dar celeridade ao julgamento do processo que pede a cassação do mandato de Wilson Lima.

 

Rejeição

Paralelo ao “balão de ensaio” para trazer o nome de Amazonino ao cenário político, a sua rejeição está no mesmo patamar de sua aceitação: 21% dos entrevistados na pesquisa DMP/Tiradentes rejeitam a possibilidade de tê-lo como gestor, novamente.

Adversários acusam Amazonino de ter criado esse cenário de falência do governo vigente. Antecessor de Wilson Lima, o ex-governador se elegeu, em 2017, com o lema de “arrumar a casa” e acabou finalizando os 14 meses de gestão sem conseguir implementar as propostas às quais havia se comprometido.

Faça um comentário