MENU
Logo Amazonas Um

Copyright © Portal Amazonas1. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita.

‘O Barco e o Rio’: curta amazonense concorre à premiação internacional

O curta-metragem conta a história de Vera e Josi, duas irmãs diferentes que precisam cuidar de uma embarcação que fica no porto de Manaus
• Publicado em 15 de abril de 2021 – 15:17
Foto: Reprodução Instagram

MANAUS, AM – Uma produção do amazonense Bernardo Abinader, 33, o curta “O Barco e o Rio” está concorrendo ao prêmio “Filmes Iberoamericanos” do Festival Intencional de Cinema Huesca, que ocorre na Espanha. Bernardo é formado em Audiovisual pela Universidade Estadual do Amazonas (UEA), é mestre em letras, trabalha como professor da rede municipal e estadual, doutorando em letras pela Universidade de Brasília (UnB), e, nas horas vagas, dedica-se ao cinema.

O curta conta a história de duas irmãs completamente diferentes, Vera e Josi, mas que, mesmo com suas diferenças, precisam conviver porque cuidam juntas de uma embarcação que fica no porto de Manaus. “O Barco e o Rio” mostra como as duas lidam com as opiniões que divergem a respeito de como cuidar do barco e como levar a vida.

Foto: Reprodução Instagram

Leia mais: Educação indígena em tempos de pandemia é desafiante, dizem educadores

O diretor contou que a ideia para a produção surgiu quando ele era aluno da UEA , durante uma atividade que estava realizando.

“Ainda quando eu era um aluno, a ideia veio de uma atividade feita em sala de aula na UEA, mas eu sempre tive vontade de tratar de relações familiares e explorar o ambiente do porto e a riqueza estética do Rio Negro, indo além do cartão-postal ou da estética da miséria” relatou Bernardo.

A produção do curta é da Fita Crepe Filmes e o filme foi lançado em Gramado no Festival Gramado 2020. O curta garantiu 5 prêmios: Melhor Filme do Júri Oficial e Popular, Direção, Direção de Fotografia e Direção de Arte e ganho quatro Troféus Mapinguari no Cinemazônia – Melhor Produção Amazônica em Curta e Média -Metragem, Melhor Ficção, Melhor Direção e Melhor Atriz.

Foto: Reprodução Instagram

Bernardo falou que está imensamente feliz com a repercussão do filme. Entrar em uma premiação e levar cinco prêmios foi algo que ele nunca imaginou, todavia, conseguiu.

“Estou muito feliz com a trajetória do filme. A recepção tem sido surpreendente desde o início. O curta estreou em Gramado, onde conseguimos ganhar 5 prêmios, algo que eu não imaginava conquistar nunca! Agora, entrar em um festival europeu tradicional, e tão concorrido como o de Huesca, é um sonho realizado!”, falou o diretor.

Abinader contou que ter sido escolhido para concorrer a um prêmio internacional é uma grande conquista e vê esse momento como porta de entrada para outras premiações.

“A minha expectativa é  que esse festival seja uma porta de entrada para outros festivais internacionais, apesar de saber que é muito difícil entrar nesse circuito”, falou para o Portal AM1.

Quando questionado sobre possíveis outras produções, o diretor contou que está trabalhando em um longa-metragem de ‘O barco e o Rio’.

Publicidade

Publicidade

MATÉRIAS RELACIONADAS

Copy link
Powered by Social Snap